Em artigo publicado neste sábado (1), no GE, o ex-jogador e hoje comentarista esportivo, Walter Casagrande Júnior, revelou que chegou a receber convites para treinar São Paulo e Corinthians.

No caso do Tricolor, ele só não assumiu pois não queria tomar o lugar de Oswaldo de Oliveira, então técnico da equipe no ano de 2003.

"O saudoso diretor Márcio Aranha me ligou e perguntou se eu aceitaria treinar o time. Naquele momento, Oswaldo de Oliveira ainda era o técnico e respondi que, enquanto ele estivesse no cargo, não aceitaria. Marquei um almoço com Oswaldo e abri o jogo sobre tudo o que estava acontecendo", diz Casagrande.

"O problema é que me envolvi emocionalmente com tudo isso. Falei para o diretor do São Paulo que se o treinador saísse eu aceitaria o convite. Tinha até data! No sábado, o time jogaria o clássico contra o Santos. A diretoria me disse que, se o Tricolor perdesse, Oswaldo seria demitido. Para minha sorte, a equipe venceu por 2 a 1 e tudo parou por ali", completou.

Sobre o convite do Corinthians, 'Casão' afirmou que os contatos vieram exatamente na mesma época, mas ele acabou não aceitando por conta da 'enrolação' da diretoria e por, segundo suas próprias palavras, não estar mais 'empolgado com a possibilidade'.

"Mas a realidade é que essa história toda me deixou muito empolgado. Fiquei ansioso, dormia mal esperando uma ligação de madrugada e percebi que aquilo não era para mim. Depois disso, nunca mais fui especulado para ser técnico. Mas quem sabe um dia eu ainda tenha essa experiência", finalizou.

Foto: Reprodução/Globo