(Reprodução)

A Globo respondeu o pedido do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para explicar porque paga menos para os times que assinaram acordos de transmissão com a TNT Sports para o Brasileirão. De acordo com a coluna do Gabriel Vaquer, no UOL Esporte, a emissora disse que o caso já havia sido investigado e que as reclamações e a investigação neste sentido estavam "requentadas" ou "recauchutadas". Há uma investigação do órgão governamental após denúncias de clubes sobre o assunto.

A Globo usou um relatório do próprio Cade, que já havia investigado um possível monopólio da Globo no Esporte em 2016, para afirmar que a investigação e a reclamação do Bahia não fazem sentido neste momento.

"A alegação que aparece na Nota de Instauração do Inquérito, por parte do Clube Bahia, é de que o Grupo Globo poderia ter imposto preços diferentes para os clubes que tivessem contratos com outras emissoras ou programadoras, com declaração transcrita do clube de que receberia menos em TV Aberta e PPV da Globo, por ter contrato com a Turner para o mesmo campeonato em TV Fechada (uma outra mídia não objeto do contrato com a Globo). Ocorre que, na realidade, se trata de denúncia ou reclamação 'requentada' ou 'recauchutada', pois assim como a Globo, como mencionado acima, já apresentou esclarecimentos sobre 'redutores' ao CADE", disse a Globo.

O argumento da Globo sobre os "redutores" já tinha sido apresentado anteriormente. Para a emissora, "na medida em que contratos celebrados com terceiros podem conter prerrogativas que diminuam objetivamente o valor do produto a ser comercializado ou interfiram na fruição de externalidades entre mídias, no âmbito das negociações de direitos com agentes que tenham celebrado contratos de outras mídias com terceiros, faz-se necessário que as propostas contenham mecanismos a serem potencialmente empregados 'quando e se' clube vender ou tiver vendido os direitos remanescentes com restrições ou limites de prerrogativas consideradas na valoração".