(Reprodução)

A Globo terá de reajustar o contrato do Campeonato Brasileiro com os clubes em R$ 126 milhões para a temporada 2021. De acordo com o blog do Rodrigo Mattos, no UOL Esporte, o reajuste está previsto no contrato por conta da alta nos índices de inflação, especialmente o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M). Esse é o principal motivo que levou a emissora a ameaçar em carta aos clubes que poderia não pagar o que estava previsto no acordo.

AINDA SOBRE O ASSUNTO
Em carta aos clubes, Globo fala sobre possível renegociação de contratos do Brasileirão

Um dos contratos do Brasileiro entre clubes e a Globo determina que o reajuste será feito pelo FCM (Fator de Correção Monetária). Esse número é obtido pela média entre os índices de inflação IGPM e IPCA. Em 2019, primeiro ano do contrato, o valor de referência era R$ 1,1 bilhão por todos os contratos das TVs Aberta e Fechada.

Excluídos os times da Warner/Turner, seriam R$ 860 milhões a serem pagos pela Globo naquele ano. Houve um reajuste para o ano passado por conta da inflação e os clubes receberam R$ 911 milhões.

Mas, em 2020, o IGPM explodiu. O fator de correção dos contratos do Brasileiro atingiu 13,84%. Com isso, o aumento para será de R$ 126 milhões para a TV Aberta e TV Fechada. No total, a Globo terá de pagar R$ 1,034 bilhão aos clubes.

Há ainda aumentos nos contratos de pay-per-view para alguns times como Corinthians e Flamengo que têm mínimo garantido.