Revoltados, profissionais pretendem ir à Justiça contra Disney

(Reprodução)

Os narradores Marco de Vargas e Eder Reis, além do comentarista Leandro Quesada, estão deixando os canais Disney, revoltados. É que eles mantinham contratos com a empresa até 2022, e tiveram seus vínculos rescindidos, sem o pagamento de multa. A Disney, porém, afirma que o acordo não tinha essa obrigação. De acordo com o UOL Esporte, o impasse entre as partes tende a parar na Justiça.

Os três profissionais souberam da decisão do grupo de mídia na última segunda-feira (7).  A irritação é porque todos eles são exceção ao padrão que a Disney tem mantido, de não renovar contratos, em vez de falar que é uma demissão, até para se não ter problemas com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), que aprovou neste ano a fusão de Disney e Fox no Brasil.

O discurso de Marco de Vargas, Eder Reis e Leandro Quesada é o mesmo: suas vidas atuais foram planejadas baseando-se em um contrato de longo prazo, e a Disney não respeitou isso, sem nenhum tipo de compensação financeira ou alguma negociação. Todos prometem procurar seus direitos na Justiça.




Revoltados, profissionais pretendem ir à Justiça contra Disney Revoltados, profissionais pretendem ir à Justiça contra Disney Reviewed by Ribamar Xavier on 11.12.20 Rating: 5

8 comentários:

  1. E vão ganhar. E com razão. Muitos profissionais que deixaram a ESPN estão ganhando processos na justiça. E,claramente esta sendo discumprido o acordo de fusão,ja que estes profissionais ainda tinham contrato longo.Cade o cade agora?

    ResponderExcluir
  2. Cadê de olhos fechados.
    Tomara que a Justiça de causa ganha pra esses profissionais

    ResponderExcluir
  3. Todos estão cobertos de razão!!!Que tenham sucesso na justiça. A Disney chegou para precarizar a mão de obra qualificada no esporte da Fox e ESPN. Um verdadeiro absurdo.

    ResponderExcluir
  4. Os contratos de trabalho não são públicos. Se no contrato estipulava multa, tem que meter no pau mesmo. A repotagem do UOL diz que teve acesso "a um exemplo de contrato de um dos envolvidos na história" e mostra duas cláusulas. Numa diz que não há multa e na outra insinua que poderia ter se tivesse alguma espécie de desrespeito das cláusulas contratuais, o que não parece ter ocorrido. Eles alegam que "'planejaram suas vidas para um contrato longo", mas, amigo, se isso não estiver explícito no contrato, é só choradeira de quem foi dispensado porque a empresa não os enxerga com o perfil que querem, igual acontece com qualquer profissional de qualquer empresa. Ou quando você é demitido da sua empresa você entra na justiça porque "planejou ficar anos naquela empresa". A lei tem que ser seguida para todos e, se houver clareza na multa, eles vão pagar.

    E não não há na decisão do CADE (trecho abaixo) qualquer menção a obrigação de não demitir, ou seja, a Disney pode sim mandar embora quem ela quiser, mesmo que o contrato seja longo

    TRECHO DA DECISÃO DO CADE:
    Compromissos assumidos

    Por meio do acordo celebrado, a Disney se compromete a manter na grade de programação, por três anos ou até o término de seus respectivos contratos, todos os eventos esportivos ora distribuídos no Brasil. A empresa também deverá manter o canal principal da Fox Sports, com o mesmo padrão de qualidade hoje existente, incluindo a transmissão dos jogos da Copa Libertadores da América, até o dia 1º de janeiro de 2022. Após esta data, os eventos dessa competição deverão ser transmitidos em algum de seus canais afiliados, até o final do atual contrato com a Conmebol.

    Além disso, o acordo prevê que a Disney deverá devolver antecipadamente a marca Fox Sports, caso opte por encerrar a transmissão deste canal, deixando-a livre para ser utilizada por qualquer outro grupo que se interesse, mediante arranjo comercial com seu proprietário.

    “No caso concreto, penso caber ao Cade tutelar a diversidade de programação esportiva disponível ao consumidor. A meu ver, esta seria uma forma de se repassar aos consumidores parte dos ganhos e eficiência advindos deste ato de concentração”, afirmou o relator.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acontece que quando vc é demitido o deu contrato não tinha prazo estipulado.

      Excluir
    2. Sim Denis, porém, quando um cidadão é demitido de uma empresa privada sem justa causa, ele vai receber segura desemprego, tem multa proporcional, e nesse caso da Disney, pelo que dizem, tinha multa por rescisão de contrato e ela foi ignorada.

      Excluir
    3. E a ESPN/Disney é campeã de perder essas causas na justiça, a mais recente foi do Dudu Monsanto.

      Excluir
  5. É brincadeira o que a Disney está fazendo. Quando eles fecharem a Fox SPORTS, vou cancelar assinatura com a ESPN.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.