Empresa entra na disputa e Fórmula 1 pode deixar a Globo em 2021

(Reprodução)
O atual contrato da Globo para transmissão da Fórmula encerra no final da atual temporada, que ainda vai ser iniciada por conta da pandemia. Segundo reportagem publicada pelo UOL Esporte, as negociações com a Liberty Media, dona da competição, estão paradas desde o fim do ano passado e a Rio Motorsports, empresa que quer organizar o GP do Brasil no Rio de Janeiro, decidiu entrar nessa disputa com um modelo de negócio mais alinhado com o que os proprietários da categoria desejam.

A Globo tentou renovar os direitos de transmissão em 2019, mas com um valor máximo de US$ 20 milhões, abaixo do mínimo pretendido pela Liberty Media para vender os direitos para todas as mídias. O desejado pela empresa era uma cifra na casa dos US$ 22 milhões. A Globo rejeitou subir mais dois milhões por causa do planejamento interno financeiro.

A Globo, porém, fatura bem com a F1 e, por isso, é deficil imaginar que a emissora vá abrir mão da categoria. Só para este ano, a Globo fechou R$ 494 milhões em cotas de patrocínios, um dos maiores faturamentos da TV.

A Liberty Media, no entanto, não tem uma boa relação com a Globo. Mesmo com a emissora oferecendo o maior alcance da categoria no mundo - 115 milhões de telespectadores, catapultado pela exibição na TV aberta -, a empresa queria receber mais dinheiro pelos direitos de transmissão. Além disso, a nova dona entende que a Globo não trata o produto da Fórmula 1 de uma maneira condizente com o modelo de negócio atual.

A Liberty Media quer colocar em prática no Brasil um modelo em que ela não fature apenas com direitos de transmissão, e sim com exposição de marca nessas exibições para todo mundo, além de vendagens de publicidade em corridas e de ingressos para o Paddock, que costumam ser vendidos para grandes empresas em pacotes.

Por outro lado, a Rio Motorsports, através do empresário, empresário JR Pereira, tem se aproximado da Liberty Media cada dia mais. Nessas conversas, a Rio Motorspots soube da dificuldade da Liberty para negociar a renovação dos direitos de transmissão da F1 com a Globo a partir de 2021. A Rio Motorsports fez uma proposta para adquirir, além do direito de realizar o GP do Brasil entre 2021 e 2030 na capital fluminense, os direitos de comercialização totais da exibição da Fórmula 1 a partir do ano que vem.

A ideia da empresa seria licenciar a exibição para canais de TV por assinatura e aberta, e fechar uma parceria onde se dividam custos e lucros com as emissoras. A comercialização do espaço publicitário nos intervalos e na cota de patrocínio também seriam divididas. Além disso, parte deste dinheiro também iria para a Liberty Media. A dona da F1 garantiria de 5% a 10% do valor fechado.

Nessa proposta nova da Rio Motorsports, a Globo pode ser parceira.

A Liberty Media ainda só não fechou questão porque falta algumas garantias financeiras com a Rio Motorsports. E, principalmente, porque a empresa deseja ouvir a Globo em uma nova rodada de conversas.




Empresa entra na disputa e Fórmula 1 pode deixar a Globo em 2021 Empresa entra na disputa e Fórmula 1 pode deixar a Globo em 2021 Reviewed by Ribamar Xavier on 16.5.20 Rating: 5

3 comentários:

  1. "é deficil "
    É difícil. Apesar de ter uma audiência brochante, tem empresas não sabemos por qual motivo pagam, e muito bem para patrocinar o evento na RGT e Sportv. E a Çiberty daria esse tiro no escuro, de repassar os direitos de transmissão pra essa Rio que ninguém sabe de onde saiu e nem pra onde vai? Nem canal tem, ia servir na verdade de agenciador pra colocar num canal qualquer.

    ResponderExcluir
  2. Será que o Plim Plim Vai Sair do Circo da F1 Após 48 Anos de Transmissões?

    ResponderExcluir
  3. Rio Motorsports tá querendo deixar as garras de fora. Só quero ver se farão mais do que apenas fumaça, assim como no caso Fox Sports.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.