Acordo com YouTube e Facebook tenta impedir pirataria na luta Mayweather Jr. e McGregor, no Brasil

Luta acontece no próximo sábado com transmissão pelo Combate (Reprodução)
A transmissão via pay-per-view do desafio entre o multicampeão de boxe Floyd Mayweather Jr. e a estrela do UFC Conor McGregor, por meio de pay-per-view, no próximo sábado (26), estará protegida no Brasil da pirataria graças a um acordo com YouTube e Facebook. A informação é do UOL Esporte, por Eduardo Ohata.

Nas últimas semanas, internautas questionam, em tom jocoso, nas mídias sociais, a necessidade de pagar para assistir o combate, ''se um minuto depois da luta, ela estará disponível no YouTube''.

Eles se referem aos sites ilegais de streaming (transmissão em tempo real na internet) que ameaçam os contratos de direitos de imagem e exibir o combate de graça na web.

A arrecadação do pay-per-view dependerá diretamente do número de pacotes adquiridos. O valor final será dividido entre operadoras de TV por assinatura, a promotora do evento, Mayweather Promotions, ou representante, IMG, e Globosat.

A possibilidade de pirataria não passou despercebida pela Globosat, que exibirá o evento em seu canal Combate.

Ela contratou a empresa inglesa Net Results, especializada em localizar e derrubar links piratas por meio das ''digitais'' dos programas, formadas por códigos e comandos.

Para que a NET Results tenha acesso às plataformas do YouTube e Facebook, dois ambientes frequentemente utilizados para a pirataria, a Globosat celebrou acordo com ambos.

A ideia é que a tecnologia coíba a pirataria de sinais relacionados a outros produtos do Grupo Globo, como o futebol.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.



Acordo com YouTube e Facebook tenta impedir pirataria na luta Mayweather Jr. e McGregor, no Brasil Acordo com YouTube e Facebook tenta impedir pirataria na luta Mayweather Jr. e McGregor, no Brasil Reviewed by Ribamar Xavier on 23.8.17 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.