O jornalista Ivo Amaral, da Rádio Cultura do Pará, foi duramente criticado nas redes sociais por conta de comentário considerado machista ao analisar o caso de assédio sexual que envolve o presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo. As informações foram publicadas pela IstoÉ.

O radialista respondeu o companheiro Kelvys Ranieri, do programa “Conexão Cultura”, sobre o possível assédio sexual cometido por Caboclo com uma secretária da entidade máxima do futebol brasileiro.

“O nosso querido presidente da CBF afastado, o Caboclo, não só queria segurar o pepino como fazer outras coisas com ele. Um problema sério, Ivo Amaral. Mas é um assunto que o horário não permite a gente falar muito”, disse o apresentador da rádio estatal.

Ivo respondeu: “Pior que a gente não conheceu nem a cara da secretária para ver se valia tanto esforço do Caboclo.”.

O apresentador tentou remediar o comentário e fez questão de chamar atenção de Ivo.

“Mas não pode! Isso ai é crime, Ivo Amaral, e qualquer abuso a gente tem que repudiar. Isso que essa secretária fez (denunciar) a gente dá todo apoio. A gente dá apoio total a essas mulheres”, opinou Kelvys.
O que disse o radialista?

Com a repercussão negativa após o áudio viralizar, o radialista pediu desculpas e lamentou não ter escolhido as melhores palavras no programa desta terça-feira (8).

“Tenho muitos anos de rádio e não foi o primeiro erro que eu cometi na minha vida e, provavelmente, não será o último. Ontem naquele diálogo que nós tivemos sobre aquela ação infeliz e totalmente reprovável do presidente Rogério Caboclo, naquele caso de assédio, eu não fui feliz em algumas palavras que emiti. Talvez, e eu me penitencio disso, peço desculpas, eu não tenha dado o peso da seriedade que o caso tinha”, pediu Ivo.

“Quem me conhece há muitos anos e sabe da minha vida profissional, sabe que eu seria incapaz de apoiar qualquer caso de assédio sexual ou casos como esse, de maneira alguma. O Rogério Caboclo teve uma atitude reprovável, já foi castigado por isso, deve ser castigado ainda mais, mas numa primeira instância já foi afastado da presidência da Confederação Brasileira de Futebol. Então, eu tenho a humildade de pedir desculpa aos ouvintes da Cultura, às mulheres de modo geral”, completou.

A Rádio Cultura também se pronunciou e emitiu uma nota oficial sobre o caso envolvendo o radialista.

“Como agentes de informação e transformação social, não permitiremos que a cultura do estupro seja negligenciada e naturalizada na nossa programação. Nesse sentido, o quadro esportivo do radialista Ivo Amaral ficará suspenso por tempo indeterminado. Ressaltamos que, combater esse comportamento implica estarmos atentos a toda e qualquer atitude cotidiana que agrida a dignidade feminina”, disse em nota.

Foto: Reprodução