A Globo alterou a lista de quem será enviado para cobrir a Eurocopa. De acordo com a coluna de Gabriel Vaquer, no UOL Esporte, o Grupo decidiu escalar para a cobertura somente profissionais que tenham passaporte europeu ou que já residem no continente. O motivo é a dificuldade de enviar brasileiros para a Europa por causa da pandemia já que o Brasil está na lista de alto risco de todos os países da Europa para contágio da covid-19.

Antes, o planejamento da Globo considerava a possibilidade de seus profissionais fazerem quarentena em outro país por 20 dias e depois mais 15 dias nos países sedes dos jogos. A estratégia ficou inviável com as restrições a brasileiros em outros países.

Com isso, apenas sete profissionais farão a cobertura da Eurocopa pela Globo. Na lista divulgada três semanas atrás eram 15. A principal mudança é a inclusão do repórter Felipe Brisolla, que antes estava escalado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Ele tem passaporte europeu, o mesmo caso de Raphael de Angeli, que já estava escalado anteriormente.

Outros escalados por causa do passaporte europeu foram os repórteres cinematográficos Fernando Ferro e Jordi Bordalha. Eles se juntam a equipe da Globo que já está sediada em Londres e conta com Marcelo Courrege, Renata Heilborn e Rogerio Romera. Antes escalados para a Euro, o repórter Felipe Diniz ficará no Brasil e a jornalista Júlia Guimarães será enviada para Tóquio para cobrir as Olimpíadas.

Foto: Attila Kisbenedek/AFP