Os filhos do maestro José Hareton Salvanini, morto em 2006, entraram com uma ação, em 2019, na 2ª vara empresarial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro contra a Rede Globo de Televisão cobrando indenização pelo uso da trilha sonora das vinhetas e chamadas de futebol, usadas nas transmissões do Campeonato Brasileiro por pelo menos dez anos. A informação é da coluna de Flávio Ricco, no R7.

A pedido da família do maestro, o advogado Daniel Tatsuo Monteiro entrou com uma ação em que pede o reconhecimento da paternidade das obras, o direito de sincronização e uma indenização pelo uso da trilha sonora sem os devidos pagamentos. “Era uma trilha musical que era usada nas chamadas, abertura e também no anúncio de patrocinadores dos jogos de futebol do Campeonato Brasileiro da emissora”, afirma Monteiro.

De acordo com ele, o processo deve resultar em uma monta financeira considerável já que a trilha foi utilizada por muitos anos pela TV Globo, mas que isto só deve ser definido após uma perícia técnica feita pela Justiça para a ação.

O advogado argumenta que Salvanini trabalhou na Globo no início dos anos 1980 e em suas atividades chegou a compor dezenas de trilhas sonoras para uso da emissora, entre elas, uma em especial que passou a ser a principal nas aberturas e chamadas do futebol naquele ano.

Alega ainda que a trilha em questão foi substituída anos depois e, após a sua morte, em 2006, com um novo arranjo musical, voltou ao ar. O trabalho era veiculado sempre que um jogo fosse transmitido na emissora ou em afiliadas e reavivou a memória dos filhos do maestro, que passaram a buscar uma forma de comprovar que o pai era o autor. Assim, eles conseguiram identificar em uma fita cassete que o pai deles era o autor da trilha sonora das transmissões do campeonato brasileiro da Globo. Depois descobrindo em nome de quem a trilha estava registrada: um colega de trabalho do pai na época, o também maestro Aluisio Didier, funcionário da emissora até os dias atuais.

No fim de 2016, Didier, por meio de um contrato celebrado com os filhos de Salvanini, reconheceu que o pai deles era o autor da trilha, e que só teria feito novos arranjos, e concordou em pagar à família parte dos lucros das novas exibições ao autor original.

Meses depois, segundo a família, a TV Globo alterou a trilha sonora e parou de utilizar a música composta pelo maestro Salvanini e preparou uma nova, que de certa forma foi feita com base na composição original.

Após o ingresso da ação sobre os direitos da trilha sonora, novamente a Globo alterou a trilha para uma nova composição e abandonou qualquer referência a composição feita por Hareton.