“A GENTE JÁ CHEGOU? E AGORA? JÁ CHEGOU? A GENTE JÁ CHEGOU”

As palavras do Burrinho do Sherek nunca foram tão sábias como agora, diante da insistência da imprensa com a chegada de Renato Gaúcho. Como se fosse o único fato relevante no futebol brasileiro no momento. Daí, entra-se em discussão a dificuldade financeira do clube, as aspirações salariais do treinador, as comparações sobre projeto de futuro e tanta coisa desprovida de qualquer sentido para o momento.

Albio Melchioretto
albio.melchioretto@gmail.com
@professoralbio
A mídia esportiva de massa cansa a beleza de qualquer torcedor. As discussões são vazias. Na coluna quero abordar o único exemplo, o das contratações. A TimãoExpress afirma que o Corinthians não tem dinheiro para contratações. Em vez de salientar a causa da incompetência administrativa, apenas vocifera-se, mas porque não se verifica a ineficiência dos setores de dados e pesquisa do clube?

São 27 estaduais. O estadual de menor quantidade de clubes possui 5 partícipes. Sendo assim, haveria no mínimo 135 clubes, e por baixo 3 mil jogadores. Mas há divisões com 16, como Paulista, além das 4 divisões, o que faz o número exceder o exemplo. Então, será que é preciso um “rio” de dinheiro para contratações? Na imensidão do território não haveria jogador, de baixo custo, para vestir a camisa do Corinthians? É loucura? Até os anos de 1990, fazia-se futebol com base em contratações de clubes interioranos.

Em vez de discutir soluções e questionar a mediocridade dos cartolas, enxuga-se gelo. Por ora, parece ser mais interessante explorar a vinda de Renato Gaúcho, fotografando-o na praia e postar nas mídias com a frase, “Renato está estudando enquanto o Corinthians espera”. A superficialidade da notícia é prática e dá retorno imediato, de público e de dinheiro. 

FOTO: LUCAS UEBEL/GRÊMIO