O Canal Olímpico do Brasil comemora esta semana 100 dias de transmissão. Lançado em dezembro de 2020 em uma parceria entre o Comitê Olímpico do Brasil (COB) e a TV NSports, o canal tem como objetivo para ampliar o alcance do esporte olímpico no país, fortalecendo sua imagem e permitindo a captação de novas receitas para as Confederações.

Durante esses 100 dias, contados a partir da primeira transmissão esportiva, a Seletiva de Saltos Ornamentais no Maria Lenk, o canal entregou 93 produções entre transmissões ao vivo, programas, reportagens e quadros especiais dedicados a 16 modalidades olímpicas: vôlei, canoagem, saltos ornamentais, atletismo, remo, handebol, ginástica artística, maratonas aquáticas, wrestling, tênis de mesa, natação, judô, esgrima, nado artístico, levantamento de pesos e badminton. Ao todo, foram mais de 6 milhões de minutos assistidos com um tempo médio de 35 minutos consumidos por pessoa nas transmissões ao vivo.

“Sabíamos do potencial incrível que o Canal Olímpico do Brasil tinha. Mas ver na prática e tão rapidamente o resultado aparecer é fantástico. Os números comprovam não apenas uma grande demanda reprimida mas a paixão do brasileiro por esportes”, diz Manoela Penna, diretora de Comunicação e Marketing do Comitê Olímpico do Brasil.

Além de democratizar o acesso ao melhor do esporte olímpico nacional, o Canal Olímpico do Brasil possibilita que os fãs acompanhem os atletas brasileiros nas principais competições preparatórias para os Jogos de Tóquio e também em seu dia a dia.

Para Guilherme Figueiredo, CEO da TV NSports, essa é a realização de um sonho. “Desde que a TV NSports começou, nós tínhamos o projeto de levar o esporte a todos os fãs. Essa parceria com o COB possibilitou exibirmos o melhor dos nossos atletas olímpicos àqueles que torcem pelo esporte brasileiro”, afirma o executivo. “A proximidade dos Jogos de Tóquio desperta muito interesse no público. Os números alcançados ratificam o desejo da torcida em acompanhar as transmissões que entregamos nesses 100 dias de Canal Olímpico do Brasil”, afirma.

Através do Canal Olímpico do Brasil, o COB oferecerá às Confederações Brasileiras Olímpicas, sem custo, a transmissão ao vivo de, ao menos, um evento anual de seu calendário, bem como a possibilidade da aquisição de direitos de competições internacionais. Até agora, além das transmissões de eventos ao vivo, foram realizadas reportagens e vídeos especiais sobre as modalidades e seus atletas. O Canal é multiplataforma, oferecendo acesso por desktop, mobile, smart TV e web app.  

Foto: Divulgação/Canal Olímpico