Em entrevista ao podcast 'Sistema Solari', o comentarista Alê Oliveira - que recentemente deixou a TNT Sports - mencionou alguns de seus ex-companheiros de ESPN e revelou  o único colega que fazia o 'Bate Bola Debate' com quem ainda mantém contato.

“Eu falo com o Edu Meneses, com os ex-jogadores… Djalminha, Fábio Luciano, Amoroso… Do sofá, eu falo com o Nicola… O programa não tinha ninguém conhecido. O Bruno (Vicari) era um apresentador questionável, Léo Bertozzi não era a primeira linha do canal, eu era a última linha do canal, e o Nicola era um fofoqueiro. Nós fazíamos a maior audiência do canal”, afirmou.

Na conversa, Alê Oliveira comentou sua relação com o narrador André Henning. “Eu nunca falei isso, até porque eu não sabia que estava nesse nível, fiquei sabendo esses dias. Ele sempre foi o cara mais meu amigo na minha trajetória no Esporte Interativo, sempre. O Mauro Beting me deu muita força. Eu levei pra lá o Guilherme Pallesi, o Rodrigo Rodrigues, que é o meu melhor amigo da minha vida no jornalismo. O André gosta das mesmas coisas que eu. Gosta de tomar uma, de resenha e tal. Eu sempre ficava com ele. Ele sempre foi o cara mais próximo de mim lá no Esporte Interativo”, contou.

"Mas tem umas loucuras que eu não consigo entender, envolvendo o Rodrigo [Rodrigues], envolvendo política. A gente entrou em uma discussão muito louca porque ele achava que eu tinha que ter um comportamento e eu achava que ele tinha que ir cuidar da vida dele. É muito fácil você julgar se você não está longe da sua filha, se você não tem sua carreira ameaçada, se você não perde o seu melhor amigo e se você não tem um montão de mentiras a seu respeito. Eu não tenho dúvida nenhuma que seu eu tivesse ficado em casa esse tempo todo [de pandemia], eu já tinha morrido. Já tinha me jogado do meu apartamento ou dado um tiro na minha cabeça, por que eu não aguento”, desabafou.

Alê ainda falou sobre sua frustação com a TV. "“A TV não é o meu lugar eu acho. Não sei se é pela linguagem, brincar com coisas que não deva ou não tomar partido político. Era para eu estar voando. Uma coisa é você entender futebol e outra é fazer TV. Eu fiz final de Champions, jogos do Brasileiro, jogos do Brasil, a maior audiência do Facebook Mundial, que foi Grêmio x Inter, a maior audiência da TV fechada, que foi PSG x Bayern… Então, eu não entendo muito bem como funciona isso. Eu adoro trabalhar, já teve fim de semanas que tive 17 jogos”.

Foto: Reprodução/Facebook