Estados Unidos, Reino Unido, Macau e Austrália ganham destaque nas estatísticas 

(Foto: Keenan Constance-Unsplash/Divulgação)

Enquanto o Brasil discute a regularização das apostas e jogos de azar, como os jogos cassino, bingo, blackjack, roleta, entre outras modalidades, diversos países do mundo já perceberam uma expansão na modalidade entre os seus habitantes. Especialistas afirmam que o avanço pode contribuir significativamente para diversificar as formas de arrecadação em tributos, por exemplo. 

Um estudo do site casino.org mostra que cerca de 26% da população tem realizado algum tipo de aposta. Os dados de 2019 explicam que 1,6 bilhão de pessoas em todo o mundo jogam e 4,2 bilhões jogam pelo menos uma vez por ano.No Reino Unido, por exemplo, 17% da população joga online, resultando em uma receita de 5,3 bilhões de libras apenas para o mercado online.

A Europa,  aliás, é o maior mercado no que diz respeito às apostas e jogos de azar.  O continente representa pouco mais de 47% dos € 34,6 bilhões de ganhos brutos de jogos online gerados ao longo de 2019. Esses dados desconsideram o Brexit e a saída do Reino Unido do bloco, algo que pode interferir em avaliações futuras. 

Nos EUA, os números também são bons. A receita somada dos jogos de azar e apostas atingiu cerca de US$ 3 bilhões de dólares. Esse número deve crescer nos próximos anos, já que diversos estados norte-americanos têm liberado a atuação de plataforma de apostas, sobretudo os sites que atuam de maneira online. 

As estatísticas mostram ainda dois componentes principais no crescimento dos jogos de cassino - sendo os Estados Unidos e o Reino Unido. Nos Estados Unidos, as receitas estimadas em dinheiro devem chegar a US $ 21,14 bilhões nos próximos anos, enquanto no Reino Unido as receitas de jogos online devem chegar a US $ 4 bilhões. Esses dois números, por si só, constituem o que deve ser um crescimento de 5,7% do mercado global de jogos de azar antes de 2022.

O crescimento relacionado ao jogo de cassino, em geral, é enorme, mas praticamente tudo isso ocorreu no domínio online. Os jogos de cassino em estruturas físicas ainda estão em declínio, sobretudo em meio à pandemia do novo coronavírus, que restringiu a circulação de pessoas. À medida que novos mercados online se abrem, só podemos presumir que a indústria de cassinos online continuará a diminuir as operações terrestres.

De acordo com os dados mais recentes entre os visitantes de cassinos nos Estados Unidos, quase metade (48%) jogava caça-níqueis, com apenas 16% jogando blackjack e 6% no pôquer. A roleta foi responsável por apenas 5% do jogo popular.  Já as apostas esportivas responderam por US $58 bilhões de dólares no mercado global. 

O estudo também mostra qual país aposta mais, através de uma combinação de regulamentação, inovação e propaganda nas plataformas de jogo. Os EUA, Reino Unido, Austrália, Canadá e Macau emergiram como principais potências no segmento. 

Embora o jogo seja ilegal na China continental, Macau é um paraíso do jogo. Cerca de 50% das receitas de Macau provêm apenas do jogo. A cidade faturou quase US$ 38 bilhões de dólares em 2019. A pesquisa mostra ainda que 80% da população australiana faz algum tipo de aposta, e os gastos da população beiram os US$ 18 bilhões de dólares.

No Brasil, os jogos de azar estão proibidos desde a década de 1940. Atualmente, discute-se no Congresso Nacional projetos de lei para retomar a atividade, mas os parlamentares ainda chegaram a um consenso com membros do setor e também da sociedade civil.