As transmissões dos jogos do Campeonato Brasileiro Feminino no Mycujoo deve passar por mudanças nos próximos dias. Segundo a coluna de Gabriel Vaquer, no UOL Esporte, os clubes estão cobrando isso da CBF, exigindo que comentários machistas e até de cunho racista, como os que aconteceram no último fim de semana na partida entre Napoli-SC x Bahia, não mais se repitam.

A CBF não tem poder de mudar a transmissão do MyCujoo, que é a responsável pela contratação de profissionais e escala de jornalistas, mas pode pedir para que se tome um cuidado maior para que algo do gênero não prejudique a imagem do campeonato.

A plataforma de streaming discute a possibilidade de apenas mulheres trabalhem em transmissões de jogos a partir de agora. Quem faz os jogos atualmente chegou a receber esta informação, mas a plataforma não a confirmou - nem a desmentiu - oficialmente.

A Mycujoo diz que ter mais mulheres nas partidas do Brasileirão Feminino é um plano que já vem sendo executado com mais intensidade nos últimos tempos. "O aumento da participação feminina nas transmissões já é algo que tem sido colocado em prática pelo MyCujoo de maneira crescente, desde o início da parceria com a CBF em 2019,. por exemplo, nesta mesma rodada do Brasileirão Feminino A1 nós tivemos o comando de uma dupla feminina na partida Palmeiras x Cruzeiro: a narradora Camilla Garcia e a comentarista Elaine Trevizan", explicou o Mycujoo.

Foto: Jonatan Dutra/Divulgação/Ferroviária S/A