Coluna do Professor #350, por Albio Melchioretto

(Reprodução)

QUE VERGONHA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE VOLEI (CBV)

Quando Carol Solberg gritou ao vivo #forabolsonaro, a CBV não tardou em tentar punir a jogadora. Um dos argumentos erroneamente usados foi a pseudo-separação entre esporte e político. Como se as duas coisas vivessem em esferas completamente distintas. Seria mais honesto, da parte da CBV, em dizer, “nós da CBV apoiamos o presidente e sua forma de fazer política”. A honestidade do discurso deixa o espectador entender o que está acontecendo, sem o joguinho de cena que os cartolas do vôlei estão acostumados. Mas em vez da honestidade, a CBV preferiu fazer, aquilo de que condenou Solberg, fazer divulgação. Assim como a seleção masculina fez nas eleições de 18. Só que agora foi para o presidente eleito para a Câmara dos deputados, o mesmo que é réu por corrupção em duas ações no STF. Pesos e medidas diferentes de acordo com posicionamentos políticos. Resta a pergunta: Carol Solberg foi perseguida por que teve uma opinião política ou Carol Solberg foi perseguida porque contraria a política pró-bolsonarista da CBV?
Albio Melchioretto
albio.melchioretto@gmail.com
@professoralbio


POR FALAR EM CRIMES

A polícia precisa ser muito incompetente para não localizar, reconhecer, investigar e fechar os serviços ilegais de IPTV e P2P. É muito fácil contratá-los e localizá-los. Na última semana fiz uma pesquisa no Google para fins de teste. Desde então recebo dezenas de ofertas nas minhas ferramentas de mídias sociais. Fica evidente que o carro-chefe para divulgar os serviços ilegais é o esporte. Entro em contato e peço sempre sobre a legalidade dos serviços (já sabendo da resposta), e as justificativas são as mais variáveis possíveis, mas em nenhuma delas, a oferta assume sua parcela criminosa na ação. É caro a televisão paga? O acesso ao pay-per-view é condicionado a operadora? Não quero pagar para determinado grupo editorial? As justificativas vão todas na mesma linha, mas o usuário de IPTV e P2P infringe os direitos autoriais e propriedades intelectuais além de infligir o Artigo 183 da Lei Geral de Telecomunicações. Para ter números, as prisões ocorridas em novembro, calculou que os presos lucraram em 2020, R$ 94,5 milhões com a transmissão ilegal de conteúdo. Os setores de crime cibernético deveria ser melhores, e o usuário preciso ter claro que não importa a justificativa, acesso ilegal é crime!

SBT ESTOURA NA AUDIÊNCIA

O SBT deve a maior audiência registrada na final da Libertadores desde 2002. Uma prova que futebol e o esporte é um dos melhores produtores. Porém, no computo geral, poucas vezes o SBT liderou na competição, apenas nos jogos finais. É pouca coisa para um produto como a Libertadores. Entretanto, a média dos jogos foi maior que a média normal dos horários. Agora o dilema, como o SBT fará para valorizar o produto desde as fases iniciais?




Coluna do Professor #350, por Albio Melchioretto Coluna do Professor #350, por Albio Melchioretto Reviewed by Ribamar Xavier on 3.2.21 Rating: 5

Um comentário:

  1. Problema no Brasil por exemplo, é que além da tv paga, tem a tv paga da tv paga. Tipo, você assina um pacote que tem por exemplo Sportv e Fox Sports, mas pra determinados jogos ou campeonatos tem que assinar um Fox Play ou Premiere.
    Pirataria é errado mesmo mas tv paga da tv paga é safadeza também.

    Na questão da CBV concordo, mas aconteceu isso de forma contrária também na RGT que tem uma posição política diferente dos cartolas da CBV.
    Lá o Caiola foi defender o presidente e foi censurado pelo Calça Grande.

    E quanto ao SBT, tinha que criar um programa esportivo decente em sua grade, não aquele circo da madrugada pra tentar chamar atenção do torneio.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.