(Reprodução)

AS MUITAS LIÇÕES DO BASQUETE


A temporada do basquete no Brasil está de volta. Forçada pelo COVID-19 (e nosso respeito as mais de 165 mil vítimas) enfrentou uma parada forçada. Neste cenário, o NBB mostra um modelo de negócio diferente. Jogos de clubes espalhados por canais regionais, TV paga e streaming. Para além da maior competição, há torneios regionais que estão no YouTube (Catarinense e Paulista). A coluna de hoje, entrevistou o atleta Gustavo Rafael de Oliveira Borges (foto), 27 anos, defende o APAB Blumenau, que recentemente disputou o Catarinense, em Brusque. Desde os 12 anos em quadra, com passagem pelo Ipiranga (Blumenau) e por duas seleções Catarinenses de Base é atleta profissional desde 2010. E o momento é oportuno para solicitar mais espaço na mídia para outros esportes. Foi uma conversa muito inteligente e importante, confira-a na íntegra:

ESPORTE E MÍDIA: Como um jogador de basquete se reconhece num espaço onde as notícias de outros-esportes são miniminizadas na mídia?
GUSTAVO: Procuro sempre conversar com torcedores e amantes do basquete e o que me trazem é sempre uma falha da mídia em relação a divulgação de notícias e resultados de outros esportes. O fato é que estamos num país onde a cultura é o futebol e isso infelizmente acaba minimizando os outros esportes. Muitas vezes a mídia da muito mais importância para a 3° divisão do catarinense de futebol ao invés da 1° divisão do basquete, por exemplo. A mídia defende que: "o público gosta mais de futebol"... meu questionamento é, será que o público tem preferência no futebol porquê a mídia justamente só leva adiante as informações do futebol e não oferece ao público outras opções de entretenimento?! Levando adiante informações de outros esportes não atingem novos públicos?!

Albio Melchioretto
albio.melchioretto@gmail.com
@professoralbio
ESPORTE E MÍDIA: Como a impressa esportiva poderia contribuir para divulgar melhor as modalidades esportivas?
GUSTAVO: Penso que, divulgar mais sobre outros esportes as informações em detalhes sobre a vida dos atletas, curiosidades históricas sobre clubes e campeonatos, é o primeiro passo para criar identidade com os torcedores e assim atrair maiores espectadores para a mídia. Penso que os clubes realizando mais projetos sociais e estando mais com a comunidade também abririam uma porta para a mídia divulgar mais sobre cada esporte.

ESPORTE E MIDIA: Como foi a experiência do Catarinense, com sede única e tiro curto disputado em pandemia?
GUSTAVO: Para nós atletas, foi uma experiência em tiro curto muito parecida com os Jogos Abertos de Santa Catarina (JASC). O detalhe é que foi no meio de uma pandemia e isso prejudicou o treinamento e a preparação dos atletas e consequentemente o nível do desempenho no campeonato. Contudo, foi de grande importância para todos nós atletas, tendo em vista que estávamos 12 meses sem competir e além de matar a saudade das quadras foi importante para os atletas recuperarem um pouco do ritmo de quadra e já dar início a preparação de 2021!

ESPORTE E MÍDIA: Como você vê o movimento da mídia local que deu ênfase ao Catarinense mais por causa das regras de pandemia e as notícias sobre o cancelamento da competição que necessariamente os jogos e resultados?
GUSTAVO: Respeito o posicionamento da mídia enfatizando as regras e o possível cancelamento do campeonato. Porém, acredito que o esporte é algo que promove o bem estar social e com isso a informação levada ao público deveria ser leve, positiva e descontraída. Até porquê o esporte é um meio que desconecta o público dos problemas sócias e não faz sentido falar de esporte com uma conotação negativa ou que gere medo ou preocupação ao público. Creio que abordando temas como possíveis jogos, resultados e informações sobre atletas agregam muito mais ao esporte no geral.

ESPORTE E MÍDIA: Quais são os planos da APAB Blumenau para o resto da temporada?
GUSTAVO: Tivemos uma reunião essa semana sobre o planejamento da próxima temporada e na semana que vem já inicia nossa preparação para o Campeonato Brasileiro da CBB que tem previsão para começar em Fevereiro. Nosso time vai manter a base formada por jogadores nascidos em Blumenau. Jogamos juntos a bastante tempo e nosso entrosamento e experiência pode ser uma vantagem no Campeonato Brasileiro de 2021. Estamos otimistas e muito empolgados para iniciar a preparação. Este tempo de pandemia longe das quadras só aumentou nossa motivação e vontade de trabalhar para levar o nome do Basquete Blumenau adiante!

A Coluna do Professor e o Esporte e Mídia agradece ao Gustavo pelo carinho no qual nos atendeu e pela conversa. Desejamos ao atleta sucesso nas quadras. A conversa evidenciou da importância de abrir espaços e pensar a possibilidade de criar uma cultura além dos gramados do futebol. Há espaço para todos na mídia e nas pautas esportivas. E “nós da imprensa” somos diretamente responsáveis para criar estes espaços de divulgação e reflexão.