Nova temporada da LBF começa em março, mas ainda não tem acordo de TV

(Divulgação/LBF)
A Liga de Basquete Feminino (ÇBF) começa dia 8 de março com uma quantidade menor de clubes participantes: serão apenas oito contra 10 na temporada anterior. De acordo com o blog Olhar Olímpico, do UOL Esporte, a diminuição é reflexo da falta de dinheiro, diante do sério risco de a Caixa Econômica Federal não renovar seu patrocínio à competição.

Os novos custos que fizeram com que duas agremiações desistem da competição são consequência do final do contrato entre a LBF e a Caixa Econômica Federal, que vence agora em março. O acordo, assinado em 2016, injetou R$ 10 milhões na liga em quatro anos. Uma pequena parte desse dinheiro foi economizado e servirá para pagar 40% dos custos de transporte dos times nesta temporada, além de as passagens aéreas e grandes deslocamentos dos árbitros.

Como não há nenhuma garantia de que o contrato será renovado, a liga não prometeu subsidiar nada que não vai conseguir arcar. A Caixa, afinal, é sua única patrocinadora. As duas partes ainda conversam, mas não demonstram otimismo com a renovação. O valor de R$ 2,5 milhões ao ano parece acima do mercado. Recentemente a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) vendeu os naming rights das Superligas, tanto a masculina quanto a feminina, para o Banco do Brasil, por R$ 2,4 milhões.

Diferente das Superligas de Vôlei, que são transmitidas semanalmente pelo SporTV e pela TV Cultura, a LBF não tem nenhum acordo de transmissão pela televisão, apenas pela TV NSports, por streaming - a mesma plataforma também transmite os demais jogos da Superliga. Na temporada passada, a ESPN transmitiu a liga de basquete.





Nova temporada da LBF começa em março, mas ainda não tem acordo de TV Nova temporada da LBF começa em março, mas ainda não tem acordo de TV Reviewed by Ribamar Xavier on 15.2.20 Rating: 5

3 comentários:

  1. tomará o foxsports pegar os direitos da lbf á liga de basquete feminino e ia ser legal o foxsports passar mais eventos esportivos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto não decidirem o futuro do canal, acho q não vão pegar mais nada.

      Excluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.