Em ação movida por Denilson, Justiça penhora R$ 4,7 milhões do cantor Belo

(Reprodução/Band)

O Tribunal de Justiça de São Paulo ordenou a penhora de R$ 4,7 milhões dos direitos autorais de Belo, por conta de uma ação movida pelo ex-jogador e atual comentarista da Band, Denílson, em 2000. Na época, ele era o empresário da banda Soweto e alegou que o cantor saiu para seguir carreira solo sem pagar indenização.


De acordo com o UOL, Denilson venceu a ação em todas as instâncias.  A Justiça já enviou ofício à empresa norte-americana Apple Inc pedindo esclarecimentos sobre a comercialização e repasse dos direitos autorais de Belo nas mídias digitais.

O Tribunal ainda intimou a Apple a fornecer dados das receitas provenientes da distribuição (streaming) e execução das músicas do cantor nas mídias ligadas à empresa. Em resposta, a Apple Brasil acrescentou que essa solicitação judicial deve ser feita diretamente às empresas que representam os direitos autorais do cantor.

Apesar da justificativa da Apple, o Tribunal manteve o pedido para que a empresa apresente posicionamento detalhado do recolhimento dos direitos musicais.

ATUALIZAÇÃO: Com os bens bloqueados, Belo diz que não vai pagar: "Nem tenho condições". "Ele [Denílson] tem o direito de acionar a Justiça, mas a pergunta que eu faço é: por que só eu tenho que pagar? Nós éramos seis componentes, e a cobrança pelo fim do grupo só vai sobrar para mim? Se dividir para os seis, eu pago", reclamou o cantor em publicação do Notícias da TV.





Em ação movida por Denilson, Justiça penhora R$ 4,7 milhões do cantor Belo Em ação movida por Denilson, Justiça penhora R$ 4,7 milhões do cantor Belo Reviewed by Ribamar Xavier on quarta-feira, julho 24, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.