Cai número de jogos do NBB mostrados na TV após corte de verba da Caixa


Anunciado pela Liga Nacional de Basquete (LNB) como trunfo no início da temporada, o modelo de transmissão multiplataforma das partidas do NBB (Novo Basquete Brasil), principal campeonato do país, chega à reta final da competição enfrentando problemas. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo, em matéria assinada por Daniel E. de Castro.

A ESPN, por exemplo, deixou de transmitir os jogos no início de fevereiro. “Devido a uma alteração no modelo de negócio que viabilizava as transmissões do NBB na ESPN, o campeonato deixou de ter momentaneamente as partidas transmitidas pela emissora”, afirmaram o canal e a LNB em nota conjunta. "A Liga Nacional de Basquete e ESPN buscam uma solução para retomar as transmissões do Novo Basquete Brasil ainda na fase final da atual temporada”, reforça o comunicado,

(Reprodução)
Ainda segundo o jornal, a "alteração no modelo de negócio" citada é o fato de a Caixa Econômica Federal, também patrocinadora do NBB, ter deixado de anunciar no canal.

O acordo entre ESPN e liga estava vinculado à existência desses anúncios, e a ausência deles inviabiliza financeiramente as transmissões do basquete nacional.

A assessoria de imprensa da Caixa confirmou que a estatal não autorizou novas veiculações de campanhas publicitárias na emissora em 2019.

Considerando somente as emissoras de televisão, o número caiu de 37 jogos com transmissão no primeiro turno para 29 no segundo.

O BandSports também ficou sem transmitir a competição, de 14 de fevereiro a 26 de março, mas retomou as exibições no fim da temporada regular e as manteve no início da fase de playoffs.

O contrato da liga com o BandSports, porém, prevê exibições somente até a fase de oitavas de final do mata-mata. Nesse cenário, a partir das quartas de final o número de plataformas de exibição cairia de 6 para 4.

Curta nossa página no FACEBOOK.
Siga o Esporteemidia.com no TWITTER.
Nos acompanhe no INSTAGRAM.



Cai número de jogos do NBB mostrados na TV após corte de verba da Caixa Cai número de jogos do NBB mostrados na TV após corte de verba da Caixa Reviewed by Ribamar Xavier on terça-feira, abril 09, 2019 Rating: 5

11 comentários:

  1. Acostumaram com o dinheiro do estado né?

    ResponderExcluir
  2. A ESPN fez campanha contra o presidente eleito, agora senta lá, isso é pouco pra essa emissora cheia de comunista caviar. E que tal uma investigação pra averiguar pra onde está indo o dinheiro dos assinantes, visto que a emissora perdeu vários eventos importantes nos ultimos anos?

    ResponderExcluir
  3. Lá vem o doente com teoria da conspiração. Comunismo morreu na década de 80, dodói...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é quase verdade mesmo Tiago, mas que tem fãs e amantes dele espalhado Brasil afora, tem muito mesmo, e na ESPN tem algum desses lunáticos(luláticos).

      Excluir
  4. Com este desgoverno acéfalo, a tendência é essa. O Estado tem o seu papel no esporte sim!!! Ou então entrega tudo para os Bancos privados e para o mercado financeiro, que é a proposta atual para "salvar" o país!!!Dias piores virão!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc não ve o que está defendendo cara, o estado dar dinheiro para um canal de televisão para fazer anuncio de um banco que tem o monopólio do fgts e seguro desemprego. Fala serio...

      Excluir
    2. Banco do governo não é monopólio. No meu entendimento o controle deve estar com o Estado. E nenhuma grande empresa, inclusive pública, vive sem propaganda (claro que não sou a favor em derramar rios de dinheiro para o marketing). E, finalmente, defendo o patrocínio do Estado sim ao esporte, principalmente aos olímpicos, que tem menos patrocínio e visibilidade. Isso se trata de opinião e não quer dizer que eu esteja certo. Respeito o seu ponto de vista. Um abraço, meu caro!

      Excluir
    3. Pra mim o governo está fazendo mais do que certo, governo na área esportiva tem que incentivar nas escolas, criando "escolinhas" de várias modalidades esportivas para gerar futuros atletas e tirar a molecada da rua e não ficar enchendo os cofres de canais de tv.

      Excluir
    4. Para mim não está certo. Mas respeito a sua opinião! Grande abraço!

      Excluir
  5. A PARTIR DE 2003 COM GOVERNO DE ESQUERDA BUSCARAM MONOPOLIZAR A ARRECADAÇÃO DE EMISSORAS DE TV COM DINHEIRO PÚBLICO, POIS DESSA FORMA A MÍDIA SÓ PUBLICARA O QUE É DE INTERESSE DO GOVERNO, COM O CRESCIMENTO DE AUDIENCIA VIERAM PATROCINIOS PRIVADOS, MAS O GOVERNO MESMO ASSIM CONTINUOU INJETANDO MILHOES NA MÍDIA, EXATAMENTE PARA COBRAR DEPOIS CASO MUDASSEM DE IDEOLOGIA, IMAGINE ESSE CICLO VICIOSO POR 15 ANOS, AGORA QUE O GOVERNO ESTA RETOMANDO A MORALIDADE DO GASTO PÚBLICO, PQ AFETOU NÃO APENAS A MÍDIA, MAS TUDO QUE DEPENDIA DO ERÁRIO PARA SOBREVIVER E QUE EM NADA TRAZIA EM BENEFICIO PARA A SOCIEDADE EM GERAL, ENFIM, O CORTE DE GASTOS COM A MÍDIA, FATOR POSITIVO PARA O PAÍS, CRIA RIVALIDADE COM O GOVERNO E ELES SE POSICIONAM COM NOTICIAS FALACIOSAS, ISSO SEGUIRÁ ATÉ QUE METADE DELAS FECHEM AS PORTAS POR FALTA DE RECURSOS E COMPETÊNCIA PARA SE MANTE-LOS SEM O ERÁRIO. DINHEIRO PÚBLICO PRIMEIRO DEVE SEGUIR UM RUMO DE PRIORIDADES, SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PUBLICA, INFRAESTRUTURA, O MOMENTO NÃO É MAIS PARA INVESTIR EM TELEVISÃO OU JORNAL, ATE PQ OS RECURSOS ESTÃO LIMITADÍSSIMOS DEVIDO ANOS DE CORRUPÇÃO.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.