Fusão FOX e Disney pode criar barreira para entrada de novos canais esportivos na TV por assinatura


O parecer do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) sobre a fusão da Twenty-First Century Fox e a Walt Disney Company aponta que haverá a necessidade de remédio antitruste no que se refere à TV por assinatura. A leitura do documento do Cade mostra que foram analisados sete mercados, dos quais dois suscitaram preocupações: distribuição de filmes para exibição cinematográfica e programação de canais esportivos básicos (não pay-per-view) para TV por assinatura.

Em relação ao mercado de programação de canais esportivos, apesar de ser vislumbrado um cenário de transformação, o Cade conclui que a fusão acarretará um aumento significativo na concentração do mercado com grande probabilidade de exercício de poder de mercado por parte da empresa resultante. Além disso, há uma potencial redução da qualidade e diversidade do conteúdo esportivo disponível e de aumento de custos especialmente para as pequenas operadoras de TV por assinatura. "Ou seja, da Operação decorre riscos não desprezíveis de diminuição do bem-estar do consumidor".

(Reprodução)
Para o Cade, no entanto, a reprovação da operação seria desproporcional, já que foram detectadas preocupações de ordem concorrencial em apenas um dos sete mercados afetados. Portanto, o mais indicado é a adoção de remédios, ou seja, restrições para corrigir os eventuais efeitos nocivos de um ato de concentração.

Os remédios podem ser negociados por meio de Acordo em Controle de Concentrações – ACC, podem integrar as recomendações da Superintendência-Geral quando esta opinar pela impugnação da operação, ou, ainda, integrar a decisão do tribunal.

A conclusão do Cade é a de que há barreiras significativas à entrada de novos players e que não se vislumbra a entrada, no curto ou médio prazo, de um novo agente que possa representar efetiva concorrência no mercado de canais esportivos básicos para TV por assinatura. O cenário é agravado com a extinção do canal Esporte Interativo, sobrando quatro concorrentes no mercado de programação desta modalidade de canais esportivos básicos para TV paga: Globosat, Fox, Disney e Band.

Com informações do Tela Viva, por Fernando Lauterjung


Curta nossa página no FACEBOOK.
Siga o Esporteemidia.com no TWITTER.
Nos acompanhe no INSTAGRAM.



Fusão FOX e Disney pode criar barreira para entrada de novos canais esportivos na TV por assinatura Fusão FOX e Disney pode criar barreira para entrada de novos canais esportivos na TV por assinatura Reviewed by Ribamar Xavier on quarta-feira, fevereiro 13, 2019 Rating: 5

10 comentários:

  1. Este cade é um brincalhão,o único empecilho é o grupo globo,lembram como a Fox teve dificuldade pra entrar nos pacotes de tv fechada.E como pode um só grupo de mídia exibir o campeonato brasileiro na teve aberta,no pague pra ver,na tv fechada (milagre que vai ter um concorrente)e na web.Neste caso este órgão se cala!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro que a SKY ficava tentando impedir a passagem de propagandas de promoção da chegada da Fox Sports, mas se via o começo da propaganda o que ficava engraçado.

      Excluir
  2. Você sabe o que impede a entrada de mais canais esportivos na TV brasileiro? A resposta é muito simples: a merda do brasileiro que só quer saber de futebol. Na Inglaterra, por exemplo, tem uns 10 canais da Sky Sports, uns da BT Sport/ESPN e ainda tem mais como a Free Sports. O Brasil é de mais variedade esportiva do que só disperdiçar tempo com a merda do futebol brasileiro que tá cada vez mais carnicento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma verdade também. Não existe tanto interesse do público em ver algo fora o futebol (com exceção qdo tem algum brasileiro em destaque) e as próprias emissoras decidiram cada vez mais dar apenas o que a maioria quer.

      Excluir
    2. Concordo. Invejo a variedade esportiva da maioria dos países europeus , a variedade esportiva dos Eua , onde cada esporte tem público , até a variedade esportiva da Argentina é maior. Eu gosto muito de futebol sim , mas gosto de outros esportes , e o ideal era que os brasileiros de modo geral ligasse mais para os outros esportes . Mas na verdade a maior parte da população brasileira nem de futebol gosta , menos da metade da população se diz gostar , o que é pouco em percentual comparado com Itália , Argentina , Alemanha ,Inglaterra , etc , gosta apenas do clube que torce , quando passa jogo de outro time , a audiência cai . Não há um interesse geral pelo esporte de interior , campeonatos que o clube não participa , ler livros sobre o futebol como esporte

      Mas por outro lado , se as emissoras , estimularem outros esportes o panorama muda um pouco , pelo menos , hoje o Superbowl , e a Nfl tem dado índices de audiência muito bons para Espn. O Esporte Interativo , lá em 2011 , quando transmitiu o Mundial de Handebol feminino , foi sucesso de audiência , pois fomentou a transmissão na grade , fez muita propaganda , deixou aquele evento grandioso . O surfe tem crescido bastante , tanto na prática quanto na audiência na Espn e na página da WSL , que inclusive lançou narração em português . Tem a ver com os brasileiros mas tem a ver com a divulgação do surfe no canal Off , bem como o Skate no canal ,

      Se o canal tiver alguma força de vontade , consegue com determinado esporte , ou evento ,algum sucesso.

      Excluir
  3. CADE só ta fazendo joguinho, mas como sempre, as alegações deles ficam só no papel.

    ResponderExcluir
  4. O mais provável é que um dos canais migre pro streaming ou vire canal premiun

    ResponderExcluir
  5. Concordo. Invejo a variedade esportiva da maioria dos países europeus , a variedade esportiva dos Eua , onde cada esporte tem público , até a variedade esportiva da Argentina é maior. Eu gosto muito de futebol sim , mas gosto de outros esportes , e o ideal era que os brasileiros de modo geral ligasse mais para os outros esportes . Mas na verdade a maior parte da população brasileira nem de futebol gosta , menos da metade da população se diz gostar , o que é pouco em percentual comparado com Itália , Argentina , Alemanha ,Inglaterra , etc , gosta apenas do clube que torce , quando passa jogo de outro time , a audiência cai . Não há um interesse geral pelo esporte de interior , campeonatos que o clube não participa , ler livros sobre o futebol como esporte

    Mas por outro lado , se as emissoras , estimularem outros esportes o panorama muda um pouco , pelo menos , hoje o Superbowl , e a Nfl tem dado índices de audiência muito bons para Espn. O Esporte Interativo , lá em 2011 , quando transmitiu o Mundial de Handebol feminino , foi sucesso de audiência , pois fomentou a transmissão na grade , fez muita propaganda , deixou aquele evento grandioso . O surfe tem crescido bastante , tanto na prática quanto na audiência na Espn e na página da WSL , que inclusive lançou narração em português . Tem a ver com os brasileiros mas tem a ver com a divulgação do surfe no canal Off , bem como o Skate no canal ,

    Se o canal tiver alguma força de vontade seja em transmissão , propagandas , programas semanais , consegue com determinado esporte , ou evento ,algum sucesso.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.