Coluna do Professor #210, por Albio Melchioretto

ATENÇÃO: QUANTO VALE A TRANSMISSÃO VIRTUAL?

O pensador francês Pierre Lévy, apontado por muitos como um entusiasta das tecnologias digitais, escreveu um texto chamado Cyberespaço nos anos de 1990 onde afirma que o espaço virtual devesse ser um território para além do físico, e não uma extensão dele. O passar dos anos, mostrou que este território está mais para substituição que qualquer outra coisa. Exagero na coluna para olhar para o futuro da mídia esportiva.

Com tantas transmissões por streaming, colunista pergunta: quanto vale a transmissão virtural (Reprodução)
Dados do Tela Síntese afirmam que brasileiro consome em média 19 horas de vídeos sob demanda na internet por semana. Isso inclui vídeos de qualquer natureza. Nos Estados Unidos e na Inglaterra os serviços de streaming, contratados, já superaram os números da televisão linear por assinatura. Esta semana o UOL, em reportagem indica por amigos do grupo Esporteemídia, no WhatsApp, fez um longo texto afirmando que este é o futuro próximo. Será que substituiremos a televisão linear por serviços de conexão a uma rede de dados?

Uma questão é rápida a mente de qualquer um, temos qualidade de internet para que o serviço seja prestado com qualidade? Mas vou além, quanto teremos que pagar? A televisão por assinatura no Brasil é cara. Um pacote Premiere completo em alta definição passa dos 100,00 e o pacote com todos os canais esportivos, também em alta definição, passam do mesmo valor – e agora com 3 canais a menos! E se somássemos as assinaturas de cada serviço virtual, qual seria o valor a ser pago? Se for um aficionado pelo esporte, sairia tão ou mais caro. Exceto o sujeito que deseja apenas acompanhar uma competição. Não é só questão de acesso, mas também de valores.

Albio Melchioretto
albio.melchioretto@gmail.com
@amelchioretto

FICOU FEIO DEMAIS: COLUNA #209

Na caixa de interação, o COMENTARISTA MAL-HUMORADO, afirmou “Essa coluna criticando a Liga das Nações na TNT/Space ficou meio sem razão agora que foi divulgada a liderança da TNT na TV paga nos jogos da última segunda (10). Tsc, tsc, tsc...”. Fato, a coluna apurou apontamentos através de conversas e não por meios da aferição de audiência, o que faz concordar com a interação do sagaz leitor, mas mantenho minhas críticas quanto a qualidade da transmissão, esperava muito mais!

Curta nossa página no FACEBOOK.
Siga o Esporteemidia.com no TWITTER.
Nos acompanhe no GOOGLE+.



Coluna do Professor #210, por Albio Melchioretto Coluna do Professor #210, por Albio Melchioretto Reviewed by Ribamar Xavier on domingo, setembro 23, 2018 Rating: 5

Um comentário:

  1. Os serviços de streaming precisarão passar por uma reforma no que se refere aos valores, sejam eles vendidos separados de uma assinatura mensal de TV ou como complemento da mesma. O ideal seria um "Sportlix" da vida, mas isso não vai rolar.

    Quanto ao assunto da última coluna, é aquilo lá: o desapontamento quanto aos superstations é normal, porque ninguém esperava o encerramento dos canais esportivos 24 hrs da Turner.

    A qualidade da forma em que os produtos esportivos são apresentados na TNT ou Space é questionável? Sim, embora eu entenda que um espaço locado ao esporte num canal nada familiarizado com isso no Brasil gera estranheza pro público que acompanha tais canais, talvez por isso a coisa rolando desse jeito (tentar se aproximar da turma se habituou em ver séries e filmes no canal que agora será variado).

    Entretanto, apesar da qualidade questionável, os primeiros resultados em termos de audiência (que é o que toca a banda no fim das contas) foram animadores. É esperar pra ver como foi a 1° rodada da UCL por lá pra ver se esses números se repetem.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.