Polêmicas do uso de árbitro de vídeo na Copa

(Divulgação/Fifa)
A utilização do VAR na Copa, também chamado de árbitro de vídeo, não tem se mostrado tão simples quanto pareceria. Diferente de esportes como o tênis, onde a função do desafio é simplesmente verificar se a bola tocou ou não alguma linha, no futebol, o árbitro de vídeo define vários lances de contato físico que são complexos até mesmo para quem assiste ao evento múltiplas vezes por diferentes ângulos.

As decisões polêmicas afetam: as seleções em campo, os milhões de torcedores dos países que estão jogando, e até mesmo as pessoas que querem apostar na Copa do Mundo com um bônus Sportingbet, ou em algum outro site de apostas.

Até o momento, tivemos mais de uma dezena de eventos em que o árbitro de vídeo foi acionado (ou deveria ter sido acionado). Neste artigo veremos alguns desses lances mais polêmicos.

1.    Espanha x Portugal
Esse foi o primeiro lance da Copa do Mundo em que o árbitro de vídeo foi utilizado. O brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa marcou um gol após uma disputa apertada com o defensor Pepe. O árbitro consultou o recurso de vídeo para verificar se a disputa foi ou não faltosa e após considerar a jogada limpa, concedeu o gol à Espanha.

O lance em si não foi tão controverso, mas, entrará para a história como a primeira utilização do replay na decisão de um lance nas copas.

2.    França x Austrália
O combate entre o francês Griezmann e o defensor Josh Risdon teve como resultado a queda do atacante francês após um leve contato com o australiano. Inicialmente, o árbitro mandou o jogo seguir, mas foi avisado pelo árbitro de vídeo sobre uma possível infração. Após a revisão o árbitro concedeu o pênalti para os franceses e Griezmann converteu a cobrança.

Resumidamente, o lance foi difícil ao vivo e a intervenção foi considerada controversa, porém correta.

3.    Dinamarca x Peru
O lance em que o dinamarquês Poulsen derruba o peruano Cueva foi claramente uma falta para várias pessoas que assistiam o jogo, sem sequer a necessidade do replay. Curiosamente, o árbitro considerou o lance normal e mandou o jogo seguir. Alertado pelo VAR, o árbitro em campo procedeu para revisar o lance e marcou o pênalti. O dinamarquês recebeu um cartão amarelo e o peruano Cueva perdeu a chance de marcar o gol.

Em resumo: o lance foi claro sem a necessidade do VAR, mas após um erro crasso do árbitro a intervenção foi considerada correta.

4.    Coreia do Sul x Suécia
O sueco Claesson sofreu uma falta após uma dividida com o coreano Min-Woo. O árbitro mandou o jogo seguir, no primeiro momento, mas parou o contra-ataque coreano para revisar a jogada. É importante notar que segundo as recomendações da FIFA, o jogo deve ser parado quando a bola se encontra em uma área neutra do campo. No fim das contas o pênalti realmente existiu e o cobrador converteu.

Em suma: lance razoavelmente difícil, decisão final correta, implementação duvidosa.

5.    Egito x Rússia

Nesse lance, o astro egípcio Salah foi puxado pelo russo Zobnin, quando o passe teve início fora da área, mas continuou até que ambos entrassem na área e Salah caísse. O árbitro de campo havia marcado uma falta fora da área, mas após revisão do replay, marcou o pênalti.

Resumo: Lance razoavelmente difícil, decisão final correta.

6.    Austrália x Dinamarca
A Dinamarca é, até então, a maior vítima do sistema de árbitro de vídeos. O defensor Poulsen, mais uma vez, cometeu um pênalti, desta vez ele levou o braço até a bola. O árbitro só marcou o lance após verificar o replay, onde pode-se ver que aparentemente não há intenção por parte do jogador, mas as regras da FIFA já afirmam, há alguns anos, que o que deve ser avaliado é se o braço “aumenta” a área de contato do jogador, o que de fato aconteceu no lance.

Resumo: Lance claro, até sem o auxílio do VAR, decisão final correta.

Outros casos que o VAR causou polêmica
O árbitro de vídeo, no entanto, não foi polêmico apenas quando apareceu de maneira ativa. Nos jogos entre Argentina e Islândia, Brasil e Suíça e Inglaterra e Tunísia houveram diversos lances duvidosos que, na opinião de diversos comentaristas, mereciam ao menos uma revisão por parte do árbitro em campo.

É verdade que, para muitos torcedores, os erros são o principal motivo pelo qual o futebol é tão mágico pois, causam polêmicas que levam ao aumento da audiência de jogos e programas esportivos. Mas, após a implementação do VAR, podemos ter certeza de, pelo menos, uma coisa: as polêmicas no mundo do futebol estão muito longe de ter fim. 

Curta nossa página no FACEBOOK.
Siga o Esporteemidia.com no TWITTER.
Nos acompanhe no GOOGLE+.



Polêmicas do uso de árbitro de vídeo na Copa Polêmicas do uso de árbitro de vídeo na Copa Reviewed by Ribamar Xavier on terça-feira, junho 26, 2018 Rating: 5

Um comentário:

  1. O começo de tudo é a respeito da maior mentira contada no meio por um comentarista de arbitragem aqui no Brasil, dizendo que a regra é clara, pois ela não é. Segundo alguns somente lance de mão na bola ou bola na mão que há interpretação, outra mentira. O VAR é ótimo, mas a polêmica sempre vai existir, principalmente se um dos envolvidos na questão, seja do seu interesse que ele se de bem.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.