COLUNA #61 | Quem Te Viu, Quem TV, por Carlos Salvador

Colunista analisa cobertura da final da Liga dos Campeões da UEFA realizada pelo Esporte Interativo (Reprodução)
A maior cobertura de todos os tempos.

Findada a Liga dos Campeões da Europa, é inevitável dizer: Foi a maior cobertura da história de uma TV Brasileira. Goste ou não do esporte interativo, critique ou não a coluna por gostar, você não pode tapar os olhos para o que está aí, à sua frente.

Aproximadamente 20 pessoas viajaram do Brasil para a cobertura da final, uma semana antes, e juntando-se a equipe Europeia da Emissora. Durante a semana pré jogo, foram mais de 30 horas no ar, detalhando tudo e mais um pouco sobre a maior partida de clubes do mundo. Entradas ao vivo, entrevistas, bastidores, acessos exclusivos, tudo isso foi mostrado. Da equipe que saiu do Brasil, os de sempre, fizeram o de sempre: Taynah Espinoza se consolidando como uma apresentadora de primeiro nível. Mauro Beting, sendo Mauro Beting, preciso como sempre.

Vítor Sergio Rodrigues assertivo em suas analises. Zico, conhece como poucos os atalhos do campo, e a personalidade do jogador de futebol. André Henning, aí está um ponto que eu queria destacar. Para muitos, o cara que grita, que berra, que exagera. Desculpem amigos, esse comentário já perdeu validade. O narrador que sabe como poucos, vender emoção e principalmente VIVER o jogo, sentir ali, na pele, o que está se passando. Além disso, poderia facilmente ser comentarista, porque também entende do jogo, e sabe soltar a pergunta certa, na hora certa para seus companheiros de transmissão. André cresceu como apresentador, é o principal rosto do canal e tem cada vez mais merecido este rótulo.

Carlos Salvador
fb.com/carlosaugusto.salvador
@calosalvador
No dia do jogo, eu acompanhei desde as 11:30 da manhã, toda a cobertura. Confesso para vocês: vivi aquilo ali. Sentia a emoção do Quesada no meio da galera, da Mantovani e do Caldeira na beira do campo. Gente: Eu vivi a final da Liga dos campeões como se estivesse no centro de Kiev, na arquibancada, na festa pós jogo!

O Esporte Interativo está de parabéns! É necessário saber reconhecer. Não conheço, não sou amigo de ninguém da emissora, não tenho nenhuma proximidade. Mas sábado, eu vivi uma Champions League, ali, sentado do meu sofá, como se eu estivesse na arquibancada do estádio. Para quem gosta de cobertura completa, de informações, curiosidades, ambientação do evento, vocês foram perfeitos! PARABÉNS, e obrigado!

Em tempo
O resultado da licitação para a próxima edição, sairá até dia 06 de junho. No páreo está o EI e a dobradinha ESPN/Sportv. Independente de quem vença a concorrência: Prepara-se. Prepare-se muito para a próxima edição. O nível de cobertura desta última evoluiu a um patamar inimaginável para os padrões da TV Brasileira. Seja o Ei vencedor, deva saber que a partir de agosto toda essa comoção por Kiev, acaba. E o foco torna-se ser melhores em Madrid. Seja ESPN/Sportv o vencedor, tenha ciência que o nível está muito acima do que esteve em 2015. Os telespectadores brasileiros têm um novo mantra para as transmissões: imersão!

Curta nossa página no FACEBOOK.
Siga o Esporteemidia.com no TWITTER.
Nos acompanhe no GOOGLE+.



COLUNA #61 | Quem Te Viu, Quem TV, por Carlos Salvador COLUNA #61 | Quem Te Viu, Quem TV, por Carlos Salvador Reviewed by Ribamar Xavier on segunda-feira, maio 28, 2018 Rating: 5

9 comentários:

  1. A Espn através de José Trajano aqui no Brasil já havia colocado o sarrafo muito alto (pra usar a expressão do locutor do canal), portanto esperamos que UCL volte pra sua casa.

    ResponderExcluir
  2. Respeito a opinião de qualquer um, mas acho uma pena um colunista só ver coisas boas em uma cobertura tão extensa como foi a do Esporte Interativo. Pra começar, como disse o Pedro Henrique acima, a cobertura da ESPN, principalmente na época do Trajano já era extensa e boa, ou seja, não é a primeira vez que ficam o dia todo falando de uma final da TV brasileira. Além disso, a cobertura do EI foi repetitiva em muitos momentos, talvez por não ter algo mais a transmitir de relevante.

    No entanto, acho até que a cobertura do EI teve pontos positivos e o maior deles foi de ter correspondentes em vários países, menos na Alemanha, que não teve um repórter lá durante 3 anos de transmissão, de forma inexplicável. Nesta temporada colocaram um jogo em um terceiro canal, já para acomodar as transmissões do PSG do Neymar. Era o mínimo que deveriam fazer, mas mesmo assim deixaram de passar vários jogos do grupo com Chelsea, Atlético de Madrid e Roma na TV, preferido passar jogos desinteressantes só pela presença do brasileiro no time francês.

    O André Henning passa uma imagem meio arrogante a meu ver, não gosto da figura. Ele sabe narrar, mas exagera sim muitas vezes ao gritar; até o Vitor Sergio (que reputo como bom comentarista) grita ao comentar quando se exalta. Parece ser norma do canal. Mas quem mais gritou foi o Alex Muller, num jogo do Tottenham que transmitiu, foi um negócio bizarro.

    O que me incomodou é o exagero em exaltar o Cristiano Ronaldo em praticamente TODA a competição. Na final tentaram puxar mais a sardinha para o Liverpool, mas o conteúdo da cobertura, durante o torneio, poderia ter sido mais amplo, acho que faltou falar mais de outros times e historias. E também me incomoda essa necessidade de se auto-elogiar. É uma necessidade de afirmação que acho muito desnecessária. Quem faz bem, faz e pronto.

    Eu sou favorável que tenha mais de um canal transmitindo os jogos, ainda mais com partidas em horários no estilo da Liga Europa, como vamos ter daqui pra frente (2 horários por dia). Poderia até continuar no EI, mas acho que deveria ter ao menos outro canal passando. E deixo claro que acho a ESPN hoje MUITO pior do que na época do Trajano, não acho essa maravilha que muitos acham.

    ResponderExcluir
  3. Tá pra nascer colunista mais otimista do que Carlos Salvador, hehehe! Vou dar meu pitaco sobre a cobertura deste triênio pelo EI.

    A primeira temporada foi espetacular, a segunda foi meio pé no freio e a terceira um misto entre as outras duas temporadas supracitadas. O Estado Islâmico, num geral, teve uma nota 7,5 na escala de 0 a 10, até por conta de vários bons jogos que ficaram restritos ao EI Plus. Dava pra ter feito melhor, mas, não esperava muuuuuito diferente do que fizeram.

    Agora cá entre nós: Taynah Espinoza é apenas ok e ainda precisa de muita fonoaudiologia pra melhorar essa voz de taquara rachada. E o Hermano Henning Jr., com esse tom de voz, vai ficar sem a mesma mais cedo que o Galvão Bueno. VSR é ótimo e Zico como comentarista é uma invenção ridícula.

    ResponderExcluir
  4. Falta de memoria do colunista. Ler ae a matéria publicada sobre a final de 2012 em Munique feita pela ESPN.

    'No último domingo, a ESPN enviou uma equipe para a Alemanha. Mauro Cezar Pereira e Paulo Vinicius Coelho serão os comentaristas, Paulo Andrade será o narrador, e João Castelo Branco, André Plihal e Mendel Bydlowsky fazem a reportagem. A dupla José Trajano-Dudu Monsanto completa a equipe da televisão. Além de matérias especiais, eles farão entradas ao vivo nos principais programas da casa: Sportscenter e Bate-Bola.

    A equipe ainda será completada por Paulo Soares e Flávio Ortega, da Rádio Estadão ESPN, e por Lucas Borges e Tiago Leme, que alimentam o ESPN.com.br com notícias exclusivas e diretas de Munique. O site ainda contará com atualizações diárias dos blogs de Mauro Cezar Pereira e Paulo Vinicius Coelho, além do videoblog de José Trajano.
    O Pontapé Inicial será ao vivo direto de Munique na quinta, na sexta e no sábado, sempre às 10 horas da manhã. Do Brasil, a equipe da ESPN preparou um Fora de Jogo diário, sempre às 19 horas. As três edições do Sportscenter Notícias (às 11h, às 13h55 e às 16h45) também sempre terão um material especial produzido direto da Alemanha.

    No sábado a programação começa logo às 10 horas, com o Pontapé Inicial e segue com um Bate-Bola especial, às 13h30 na ESPN Brasil. Na ESPN, a programação começa às 13h, com o Fora de Jogo, e segue com o Abre o Jogo já a partir das 13h45.'

    Só de gente que apareceu na tela a ESPN em 2012 enviou 9 pessoas, fora o Ortega que na época era só da rádio Estadão/ESPN. Ás vezes é melhor usar a memória antes de falar besteiras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bateu uma saudade da ESPN, era jornalismo de verdade, tinha conteúdo, hoje olhamos o canal e só tem piada forçada. Triste.

      Excluir
    2. "...hoje olhamos o canal e só tem piada forçada. Triste."

      Quando eu li isso na hora eu lembrei daquele apresentador do Bate bola bom dia, o pior disparado.

      Excluir
  5. Concordo com quase tudo,menos a parte que toca no narrador e o Zico nem me sobe e nem me desce.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Tecnologia do Blogger.