Petraglia fala em protesto para justificar transmissão de final do Paranaense na internet

(Reprodução/Youtube)
Após o jogo final do Campeonato Paranaense, Mario Celso Petraglia foi aos microfones explicar sua versão para a decisão de transmitir, à revelia do Coritiba, da Federação Paranaense de Futebol e da RPC (afiliada Globo no Paraná) – a partida contra o Coritiba, primeiro no YouTube, depois no Facebook. Neste ano, o Furacão não vendeu os direitos de transmissão para a emissora, ao contrário do Coritiba, o que impediu que o jogo passasse na TV. As informações são do UOL Esporte, por Napoleão de Almeida.

"Entendemos que era um direito nosso e lamentavelmente a concessionária da Globo, a RPC, nos tirou do ar", disse Petraglia, citando o corte do sinal no YouTube a pedido da Globo, "Voltamos mais tarde, por um outro canal (o Facebook), e terminamos a nossa transmissão. Pode parecer oportunismo da minha parte em razão da vitória, mas o nosso trabalho é quebra de paradigmas", alegou.

Petraglia relembrou o episódio em que fechou os portões para a transmissão do jogo entre quartas de final do Brasileiro 1996 contra o Atlético-MG e as denúncias sobre seu nome em relação aos pedidos de propina de Ivens Mendes, então coordenador de arbitragem da CBF e que buscava aporte para a campanha de deputado estadual por Minas Gerais, que resultaram na virada de mesa que manteve o Fluminense na elite em 1997 e custaram 8 pontos ao Furacão e uma suspensão ao dirigente. "A gente vem com esse confronto desde 1997, quando conflitamos com o sistema e pagamos um preço caríssimo, com uma deformação da nossa imagem, da nossa honra. Vamos em frente. O que eu quero trazer é essa posição de protesto."

Questionado sobre o artigo 42 da Lei Pelé que determina que o direito de arena no Brasil é compartilhado, Petraglia não foi objetivo. "Você acha justo que o Atlético se veja obrigado a vender por valores insignificantes e que não possa mostrar sua imagem a ninguém? O Império Romano caiu. O futebol brasileiro precisa da sua carta de independência. Eu fiz alguns comentários e o Brasil ficou chocado. Eu não menti, é só examinar. Até quando? Até quando vamos suportar isso? No futebol é a minha pequena contribuição, eu como atleticano vou lutar. Nós sentimos um prejuízo aos nossos patrocinadores. Então hoje resolvemos passar o nosso jogo, a mando nosso. Não vendemos nossos direitos, não vejo prejuízo a ninguém, nossos advogados examinaram a situação, e mesmo assim o poder político, econômico, nos tirou do ar."

Em 2017, a FPF transmitiu a decisão por pênaltis na fase semifinal entre Londrina e Atlético via Facebook, o que também foi citado pelo dirigente. "Temor? Temos, a responsabilidade de estar no cargo, especialmente no meu, de presidente do Conselho, que é o maior no clube, nós consultamos. É o mesmo risco que a Federação correu quando tomou a decisão de demonstrar os pênaltis (contra o Londrina)." Petraglia ainda se queixou da transmissão da Rádio Coritiba, que exibiu partes do jogo do primeiro turno.

O dirigente ainda detalhou: "Por que o Atlético Paranaense se viu obrigado a vender, e nós não cedemos, os nossos direitos por valores vis, que não pagam nem os gastos que temos para disputar essa competição absurda que temos que disputar. Sou contra o calendário, as diferenças de receitas entre o nosso clube e os pequenos e médios do nosso estado. Aquela briga toda que temos para cima, que quando o Flamengo e o Corinthians entram em campo faturam 3,5 milhões de reais, e o Atlético fatura 150 mil, e protestamos, aí prova a estrutura e a diferença."

No ano passado, Atlético e Coritiba transmitiram as finais pelo YouTube, em acordo mútuo. O dirigente falou sobre o tema: "Infelizmente os co-irmãos da cidade atravessam crises que não me cabe discutir, mas infelizmente o nível do campeonato estadual, vejam a renda, o público... mas, mesmo nos sentindo obrigados, e estávamos juntos, Coritiba e nós, mas lamentavelmente para nós houve sucessão no Coritiba, por opção democrática dos seus sócios, e eles foram cordiais e disseram que não compartilhariam dessa briga nossa com o sistema."

Por fim, Petraglia convocou a torcida a protestar contra a televisão: "Peço ao nosso torcedor que proteste contra esse oligopólio que paga muito mais para o Boavista no campeonato carioca."

Curta nossa página no FACEBOOK.
Siga o Esporteemidia.com no TWITTER.
Nos acompanhe no GOOGLE+.



Petraglia fala em protesto para justificar transmissão de final do Paranaense na internet Petraglia fala em protesto para justificar transmissão de final do Paranaense na internet Reviewed by Ribamar Xavier on abril 09, 2018 Rating: 5

5 comentários:

  1. O que ele fez foi errado, mais ele tem suas razões,como o pequenino boa vista pode receber quase 10 mais que o Atlético e o próprio Coritiba,e não venham menosprezar os clubes fora do eixo RJ,SP,MG e RS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com o que você disse. Até agiu errado, mas a própria federação agiu errado ano passado e o Coritiba no turno esse ano. Somente repetiram o "erro" dos outros.

      Excluir
  2. NOVO EURICO ATUALIZADO COM SUCESSO 👏👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  3. Acho engraçado ele reclamar tanto, mas aceitou o dinheiro oferecido para a cota da Série A. Então?

    Essa história de que ele fechou os portões em 1996 eu não sabia. Alguém conhece a história direito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que acompanhei até aqui, assim como o Palmeiras, eles não fecharam com a Globo na tv aberta pela Série A do Brasileiro(2019).

      Excluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Loading...
Tecnologia do Blogger.