Cotas de TV dos estaduais estão desvalorizados em comparação as outras competições

(Reprodução)
Atualmente, os campeonatos estaduais são menos vantajosos do que a maioria das outras competições disputadas durante o ano considerado valor por partida. E devem se tornar quem pior paga no próximo ano. As informações são do UOL Esporte, por Rodrigo Mattos.

Essa nova realidade ocorre porque houve novos contratos da Copa do Brasil (2018), Brasileiro (a partir de 2019) e Libertadores (reajuste de cotas e novo contrato em 2019) e Sul-Americana (novo contrato em 2019). A tendência é cada vez mais um aumento da vantagem financeira nesses campeonatos mais relevantes em relação aos Estaduais.

Vamos considerar as cotas dos grandes clubes nos quatro Estaduais de maior relevância no Brasil: Paulista, Carioca, Gaúchão e o Mineiro. O valor dessas cotas por jogo se compara ao confronto básico (1a fase) das outras competições, perdendo feio para as fases seguintes.

No Paulista, cada grande leva em torno de R$ 17 milhões, o que dá R$ 940 mil por jogo. No Rio, são R$ 15 milhões para cada um dos grandes, resultando em R$ 830 mil. Valor similar por jogo ao Mineiro que paga R$ 12,3 milhões a Cruzeiro e Atlético-MG, mas tem menos jogos (R$ 820 mil por partida). Por fim, o Gaúchão paga R$ 12,5 milhões à dupla Grenal, o que dá R$ 735 mil por jogo.

Em comparação, a cota do primeiro jogo da primeira fase da Copa do Brasil passou a valer R$ 1 milhão neste ano para os clubes da Série A. Ou seja, já supera todos os Estaduais. Na terceira fase, com dois jogos, ficaria R$ 700 mil por jogo. Mas, nas fases seguintes, isso já aumenta para R$ 900 mil por partida e segue crescendo.

Na Libertadores, na primeira fase, ganha-se US$ 300 mil por jogo, ou R$ 978 mil. De novo, cada fase seguinte aumenta esse valor. E a tendência é de reajuste considerável em 2019 com o novo contrato de Tv que vai quase triplicar de valor.

Na Sul-Americana, a cota básica é de Us$ 250 mil (R$ 815 mil) na primeira fase, o que daria metade por jogo. Aí, sim, seria uma competição que no início é menos rentável do que o Estadual. Mas, além das cotas subirem mais à frente, há previsão de reajuste para 2019 com novo contrato de televisão.

O Brasileiro já supera com vantagem os Estaduais em valor por jogo. Considerado o contrato de 2019, a Globo e Esporte Interativo devem pagar juntos em torno de R$ 1,1 bilhão por Tvs Aberta e Fechada. Com o ppv, chega a R$ 1,750 bilhão. Isso dá R$ 2,3 milhões por time em cada jogo em média.

Contratos dos Estaduais de Rio, São Paulo, Minhas e Rio Grande do Sul foram renovados recentemente, isto é, essas cotas vão vigorar até 2022 dependendo do campeonato. E não há  perspectivas de valorização com as competições com menor prestígio. Assim, a última justificativa para manutenção de Estaduais grandes já cai por terra pouco a pouco.

Curta nossa página no FACEBOOK.
Siga o Esporteemidia.com no TWITTER.
Nos acompanhe no GOOGLE+.



Cotas de TV dos estaduais estão desvalorizados em comparação as outras competições Cotas de TV dos estaduais estão desvalorizados em comparação as outras competições Reviewed by Ribamar Xavier on março 06, 2018 Rating: 5

Um comentário:

  1. Os timecos acostumados com as esmolas que rolam pelo(a) esgoto merecem.

    ResponderExcluir

O que achou dessa informação? Compartilhe conosco!

Os comentários ofensivos serão apagados.

O teor dos comentários é de total responsabilidade dos leitores.

Loading...
Tecnologia do Blogger.