Header Ads

Marcelo Bechler fala sobre apuração da ida de Neymar para o PSG

Marcelo Bechler explicou os bastidores do furo jornalístico (Reprodução)
No dia 18 de junho o jornalista Marcelo Bechler, correspondente do Esporte Interativo na Espanha, noticiou com exclusividade a informação de que Neymar teria aceitado a proposta para ser jogador do Paris Saint-Germain. Durante o anúncio, o repórter ainda deixou claro que o negócio poderia ser concretizado em justamente em duas semanas – o que de fato aconteceu dentro do prazo previsto pelo jornalista.

Durante todo o período de novela e negociações, Bechler foi “atacado” por torcedores e até mesmo outros veículos de imprensa, que duvidavam das informações sobre a ida de Neymar ao PSG.

Em entrevista ao site Bleacher Report, Marcelo Belcher deu detalhes sobre um daqueles que pode ter sido o maior furo jornalístico da história do futebol.

“Meu contato começou a me contar sobre toda a história com Neymar. Quanto mais ele falava, mais eu comecei a perceber o impacto do que ele estava me contando”, conta Bechler. “Liguei para o meu diretor para lhe dizer o que eu tinha ouvido e ele queria ir ao vivo com a informação imediatamente, mas eu sabia que era muito grande para se errar. Eu precisava de mais fontes”.

O jornalista revelou que começou a correr atrás de mais fonte às 3h da madrugada. “Eu fiz chamadas para Espanha, Brasil e França, e uma vez que eu tive mais três contatos que puderam me dar detalhes específicos, eu sabia que eu poderia estar absolutamente seguro com a história”.

“Eu ainda apenas relatei cerca de 30% do que eu tinha ouvido porque queria estar absolutamente correto no que eu estava colocando lá fora. Eu sabia que isso seria uma notícia global”, explicou.

Após passar a informação ao vivo durante a programação do Esporte Interativo, Bechler virou “alvo” da imprensa esportiva mundial e chegou a conversar com profissionais de 20 países. “Eu sabia que seria enorme, mas não nesse nível”, diz Bechler. “Tive tantos jornalistas que entraram em contato e tentei falar com todos eles porque entendi o tipo de pressão que tinham nesse momento para descobrir o que estava acontecendo”.

"De repente minhas redes sociais ficaram difíceis de entrar. Em dois minutos meu Twitter tinha centenas de notificações e eu tive que bloquear meu Instagram do público porque as pessoas começaram a escrever na minha página, e é algo pessoal longe do futebol e meu trabalho. Esta foi certamente a primeira vez que experimentei algo assim como jornalista”.

Por fim, Bechler descreveu todo esse momento como o mais louco de sua carreira. “Tantas pessoas tentaram descobrir como eu recebi as informações, mas, como jornalista, você tem que proteger as fontes. Eu nunca tive dúvidas sobre o que relatei. As pessoas ligadas ao Neymar definitivamente queriam saber de quem recebi a história, mas nada disso importa agora. Eu certamente não esquecerei aquele telefonema que recebi no jantar uma segunda-feira (dia 17 de julho) à noite”.

Com informações do Torcedores.com (Danielle Barbosa)

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.