Header Ads

Imprensa brasileira já saturou caso Neymar, por Aécio de Paula

Colunista critica excesso de Neymar na cobertura da imprensa esportiva (Jean-Sebastien Evrard/AFP)
Ok. Que a transferência do Neymar para o PSG é talvez o grande assunto do mês, quizá do semestre, ninguém duvida. O craque brasileiro virou assunto em tudo quanto é lugar nas redações no Brasil e no Mundo. Acontece que mesmo com a importância da transferência, a maior da história do futebol, a mídia esportiva do Brasil já saturou o tema, e continua a saturar.

Neymar pra lá, Neymar pra cá. Na Globo, já se pode mudar o nome dos programas esportivos. Não me espantaria de ver um Neymar Esporte diariamente e um Neymar Espetacular aos domingos. Falando em domingo, a emissora mostrou flashes ao vivo da estreia do jogador durante os jogos do Brasileirão, e segundo informações, ela tem tudo para continuar fazendo isso nas próximas rodadas e até transmitindo ao vivo os jogos do PSG sempre que possível.

Aécio de Paula
Colunista do Esporteemidia.com
@TorcidaBrasil2
Que o menino dá muita audiência e chama muita atenção, ninguém duvida também. Esse mesmo que vos escreve, deixou de assistir o Campeonato Brasileiro e Real Madri x Barcelona, para escolher ver a grande estreia do Brasileiro na competição francesa. O que não se pode é ultrapassar os limites do aceitável em cobertura jornalística. E esse limite, já foi ultrapassado pela nossa imprensa.

No Bem, Amigos, programa da Tv por assinatura SporTV, o comentarista Caio Ribeiro sintetizou bem a opinião da imprensa nacional. “O Neymar não é craque. Ele já é gênio”. Longe de mim julgar a opinião dos outros, mas é preciso ter cuidado com esse endeusamento a um grande jogador. Não preciso lembrar que essa mesma mídia colocou a Seleção Brasileira dos 7 a 1 em um patamar de endeusamento também. Deu no que deu.

A mídia cria heróis e vilões em questão de segundos. No momento Neymar é herói, já foi vilão há pouquíssimo tempo atrás e deve voltar a ser a qualquer momento. Assim é a imprensa. Ela não quer que você entenda que esportistas são seres humanos. Cabe ao bom espectador entender isso e não se deixar levar por marketing ou fantasias. Quanto ao Neymar, vamos apenas curti-lo como grande jogador que é. Mas sempre analisando as coisas com a própria cabeça. Sem extremismos.

Ele não é vilão. Ele não é um deus.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.