Coluna 'Quinta Categoria', por Carlos Salvador #12

Colunista faz analogia entre programas de TV e estilos de escola (Reprodução)
Linha Editorial

Em uma determinada comunidade existe vários tipos de escola. Escola municipal, estadual, particular, etc. Mas existem escolas. Elas estão espalhadas por vários pontos da cidade, no centro, na periferia, ou naqueles bairros próximos ao centro, mas que não é no centro.

Programa de debate esportivo também é uma ‘escola’. Podemos fazer essa analogia, não porque eles pretendem nos ensinar algo, mas sim pela sua filosofia, maneira de lidar com alunos e professores. Vamos adentrar em alguns programas de debate esportivo exibidos mais ou menos no mesmo horário, ou período, para que o amigo leitor possa entender tal comparação.

Escola particular no centro – Aí está o Seleção SporTV. Todo mundo engomadinho, comendo nutella no recreio e tomando todynho na sala. A aula flui, com todo mundo falando educadamente, pedindo permissão pra falar. Quando acontece uma divergência de opiniões, tanto o “Williamson” quanto o “De Bourbon” são levados para uma reunião na coordenadoria pedagógica educacional, onde é aberta uma sindicância para apurar os fatos, e nada acontece. Na hora de ir embora, cada aluno espera o motorista da família no “hall’ da escola, para que possa ir embora de Mercedes no ar acondicionado. Aulas tão chatas e morosas que dão sono.

Escola particular no bairro ao lado do centro – Se vestem como playboy, camiseta gola polo TH, mocaça intacto e relógio de marca. Tudo isso para dizer que é rebelde, que vai sem uniforme. Se acontece um desentendimento, eles ficam se encarando por tempos sem ninguém tocar um no outro. Até que um apaziguador chega e interrompe a ‘rebeldia’ dos alunos. Depois de um tempo, fazem as pazes e saem para comer coxinha de banana no recreio, obviamente de Uber, táxi ou o pai de um deles vem buscar todos em um carro do ano. Escola Bate Bola Debate sem graça, não acontece nada.

Carlos Salvador
fb.com/carlosaugusto.salvador
@calosalvador
Escola pública na região central – Divertido. Ninguém quer saber quem é mais rico, quem com mais picanha. Ali todo mundo se respeita até a página três. Se precisar, rola briga no recreio, um chama a mãe do outro de ‘coxinha’. Se sentem populares, inventam moda para distrair os alunos durante o programa a aula. Geralmente o couro come, e um fala mais alto que o outro e o professor fica com cara de tonto lá na frente. Mas no fim do dia todos estão lá na quadra jogando bola, e depois vão embora a pé ou de bicicleta. +90.

Escola pública na periferia – O pau quebra, o coro come, o filho chora e a mãe não vê. A hora mais divertida é dentro da sala de aula, onde todo mundo põe apelido em todo mundo, é ratão pra cá, bozó pra lá, boca de litro ali, tião galinha de cá. O mais certinho da turma já reprovou duas vezes. É uma bagunça só. Professor não comanda, alunos se xingam, brigam na mão dentro da sala. Diretoria não tem voz sobre ninguém, e acha que está mostrando um jeito diferente de ensinar quem assiste. Horrível. FOX Sports Rádio.

Obviamente esta é uma analogia em forma de brincadeira do colunista, que a propósito estudou a vida toda em escola pública de interior. De forma alguma quer gerar qualquer tipo de reação preconceituosa.

O intuito aqui é mostrar-se altamente contrário a direção do FOX Sports, que não só autorizou, como incentivou e manteve no ar o programa FOX Sports Rádio enquanto da discussão entre Benjamin Back e Osvaldo Paschoal. Patético.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.



Coluna 'Quinta Categoria', por Carlos Salvador #12 Coluna 'Quinta Categoria', por Carlos Salvador #12 Reviewed by Ribamar Xavier on 20.4.17 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.