Coluna 'Quinta, Categoria!', por Carlos Salvador #9

Colunista comenta negociação dos direitos de TV dos amistosos da seleção (Lucas Figueiredo/CBF)
Seleção a venda!

Não havia momento melhor: fim de ano, seleção recuperando o prestigio aos poucos com a mídia e o povo brasileiro, e o contrato de transmissão de jogos amistosos da ‘amarelinha’ vencendo. A toda poderosa CBF, astuta feito uma raposa, arma um jogo ‘caça-contrato’ amistoso em janeiro em prol das vítimas da tragédia da Chapecoense e já sem contrato em vigência com a Globo sobre os amistosos da seleção, envia as emissoras nacionais e internacionais uma carta convite de degustação do seu produto mais valioso, afinal, negócios são negócios. Muitas emissoras brasileiras aceitaram obviamente a degustação e provaram do produto.

Logo depois, como quem não quer nada a CBF solta na mídia que busca um parceiro para estes amistosos da seleção, e para isso, quem quiser transmitir jogos não oficiais da amarelinha precisa desembolsar R$ 6 milhões por ano, para ter os direitos.

Janeiro passou, fevereiro e março também. A seleção voltou a jogar pelas eliminatórias e venceu seus dois últimos jogos e obviamente o produto se valorizou. Agora, os dois próximos jogos serão os amistosos com Argentina e Austrália em junho. E por enquanto ninguém sabe quem vai transmitir. O produto se valorizou, ganhou corpo e maior possibilidade de retorno, o problema é que em 2017 ele só poderá ser exibido duas vezes agora em junho e uma ou duas vezes em novembro, ou seja, o retorno não será imediato.

Em 2018, ano de Copa do Mundo, a FIFA tem uma data programada para antes do torneio com 2 jogos possíveis em março. Depois do Copa, são mais 3 datas com 6 jogos amistosos possíveis. Além disso, leva-se em conta pelo menos outros três ou quatro jogos preparatórios para a Copa. Terminamos 2018 com 8 amistosos garantidos e mais quatro possíveis, são 12 jogos. Aí sim veremos retorno, principalmente se a seleção chegar embalada na Copa e quem sabe saia vencedora dela.

Carlos Salvador
fb.com/carlosaugusto.salvador
@calosalvador
Vamos tratar esses amistosos da seleção como uma menina bonitinha no baile, mas que tem uma irmã mais bonita ainda (jogos oficiais), e um irmão mais velho, chato e malandro (CBF). A menina mais bonita já está comprometida com um amigo muito próximo do irmão, que fez todo o arranjo para o ‘parça’ dele virar cunhado. Então, nem é bom tentar nada.

Já a bonitinha é possível tentar claro, mas nunca sem antes estar obrigado a pagar muita cerveja para o irmão malandro. E pior: Depois de conseguir o namoro com a bonitinha vai ser muito, mas muito subordinado e chantageado pelo irmão, só porque ele “permitiu e facilitou” o namoro. É problema. Ou você entra e sabe onde se mete, ou nem tenta.

É mais ou menos assim a relação CBF-GLOBO-CONCORRENCIA. Todo esse lobby com outras emissoras, de degustar, dar carinho, mostrar o jogo é só uma forma de chegar na platinada e dizer: “negócio é o seguinte. Tem mais gente interessada, Tem Tio Murdoch, Tio Mickey, e até o Silvio Santos. Então ou vocês levam agora ou já era.”

Com certeza, teremos Brasil x Australia, em junho ao vivo as 7h15, depois do 'Bom dia Brasil'.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.



Coluna 'Quinta, Categoria!', por Carlos Salvador #9 Coluna 'Quinta, Categoria!', por Carlos Salvador #9 Reviewed by Ribamar Xavier on 30.3.17 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.