Trajano diz que não se preocupa mais com a ESPN e que não é viúvo do canal

Jose Trajano foi entrevistado no programa 'No Ar com André Henning' exibido pelo EI MAXX (Reprodução)
Crítico do que é chamado por muitos de ''jornalismo engraçadinho'' em programas esportivos, inclusive da própria ESPN Brasil, José Trajano disse considerar esse um dos motivos que o levaram à demissão da emissora que ajudou a fundar. O comentarista deixou a ESPN em setembro do último ano. As informações são do UOL Esporte.

''Pelo fato de ser criador de uma coisa, acaba, mesmo sem querer, dando uns palpitezinhos, e não era mais chefe. Eu dei entrevistas, falei num programa sobre a presença do Danilo Gentili e critiquei as brincadeiras exageradas, o humor pelo humor'', declarou ao programa ''No Ar com André Henning', exibido pelo EI MAXX na noite desta quinta-feira (23).

Ele deixou claro ainda o que pensa sobre o assunto. E citou Tiago Leifert, ex-apresentador da edição paulista do 'Globo Esporte'.

''Jornalista tem que botar na cabeça, principalmente jornalista esportivo que tá com uma mania de ser engraçadinho, que engraçadinho é outra coisa, isso é com o (humorista) Marcelo Adnet, é para o pessoal do (canal de vídeos) Porta dos Fundos. Com o advento desse negócio de stand up comedy, muita gente vai virar isso. Eu falei isso em relação ao Tiago Leifert. Quando começaram a encher muito a bola dele, falei: 'primeiro que não é o inventor da pólvora, apresentar de pé e sem script o João Carlos Albuquerque (da ESPN) já fazia isso, outros já fizeram e ele vai acabar no entretenimento, que é o caminho que ele tá rumando. E foi o que aconteceu.''

''Esses engraçadinhos – continuou – o sonho deles não é continuar no jornalismo esportivo, é ir para o entretenimento, é fazer show ali na rua Augusta, naquele teatro (de clube de comédia) e por aí'', criticou.

''Então, tem a minha crítica à programação, a minha atuação política e um terceiro ponto: eles (na ESPN estavam) de saco cheio de mim, porque a minha presença, por mais que fosse pequena, no ar e na redação, segunda e sexta, chegada uma hora antes do programa (Linha de Passe), representava o 'Trajano ainda existe aqui, vamos fazer do nosso jeito, vamos eliminar esse cara da frente'. Foi uma traição nesse sentido de cortar o contrato, alegando contenção de despesa. Até parece que ganhava uma fortuna. Ganhava por participação. Segunda, que era o (programa) tradicional, poderia ficar e cortava o de sexta e ganharia metade'', argumentou na atração do EI MAXX.

''Mas quero deixar claro o seguinte: eu não sou viúvo da ESPN, logo que acabou fiquei muito chateado, mas nem vejo mais, assisto aos jogos, do meu Arsenal. Tenho muitos amigos lá, torço por muita gente que tá lá. Uns 80% das pessoas que trabalham lá eu que levei, indiquei, que promovi. Muita gente começou a carreira comigo, gente que nunca tinha narrado na vida, tipo Rogério Vaughan. Paulo Andrade (principal narrador), que tirei de outro lugar, gente que era produtor e virou repórter. Respeito, gosto e torço por essas pessoas, quero que esse trabalho delas continue por muito tempo, mas eu não me preocupo mais com a ESPN. Tenho me preocupado com a minha vida'', enfatizou o jornalista, que também deu seus pitacos sobre como vê as emissoras esportivas da TV fechada na atualidade.

''Importante é dar opções. Eu só acho que todos os canais tão muito parecidos, tem muito programa de debate, muita conversa e aquele jornalismo que eu gosto muito das matérias, das reportagens, tá ficando em segundo plano. Acho que se você estiver em um restaurante e olhando de longe, você não sabe se tá vendo a SporTV, ESPN, FOX ou Esporte Interativo na hora do almoço. A cara é a mesma. Tá todo mundo discutindo muito. Me aflige um pouco.''

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.



Trajano diz que não se preocupa mais com a ESPN e que não é viúvo do canal Trajano diz que não se preocupa mais com a ESPN e que não é viúvo do canal Reviewed by Ribamar Xavier on 24.2.17 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.