Header Ads

Fórmula 1 pode ser transmitida pela internet no futuro; entenda

Atualmente as empresas televisivas significam grande parte do patrocínio dado à F1 (Motorsport)
Depois de corrigir algumas falhas de tecnologia, a Fórmula 1 agora está pronta para transmitir suas corridas através da internet, sem precisar de uma rede de televisão. A informação foi publicada pelo ESPN.com.br.

O feito, contudo, parece estar longe de significar uma mudança drástica no modo de vender a categoria, uma vez que as empresas televisivas ainda significam grande parte do patrocínio dado à F1.

Em 2016, alguns testes foram realizados pela Tata Comunicações e a diretoria da Fórmula 1. Na última corrida do ano, em Cingapura, foi demonstrado que é possível utilizar a tecnologia de transmissão "over the top" (pela internet, sem cabos ou operadores), conhecida como OTT.

"Um dos desafios que a OTT enfrentou no passado foi sincronizar aquilo que você vê na sua televisão com o que você no seu iPad ou telefone", afirmou o diretor de assuntos da F1 na Tata, Mehul Kapadia.

Segundo Kapadia, após muito trabalho para retirar os problemas de atraso na transmissão, essa tecnologia pode ser usada tranquilamente para a transmissão da Fórmula 1. O diretor, contudo, ressaltou para o fato de que isso não significa que as corridas vão migrar de uma vez para o modelo online, deixando as emissoras para trás.

"OTT tem algumas respostas de um ponto de vista comercial. É um desafio comercial sobre como franquias querem alcançar os consumidores e, então, não ter uma escala que vem para eles dos transmissores", pontuou Kapadia.

Mas o diretor não descarta mudanças no futuro. "Muitas oportunidades estão aí e tem muito trabalho que podemos fazer. A transformação digital está acontecendo, tanto como trabalhamos ou olhamos para o esporte ou como interagimos com ele quando estamos na corrida ou no estádio", completou.

Na última temporada, a empresa de comunicação Liberty Media comprou os direitos comerciais da Fórmula 1, terminando a "era" dominada por Bernie Ecclestone.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.