Header Ads

Famílias de jornalistas da Globo, vítimas do acidente da Chape, vão processar clube

Advogado alega que o time teria responsabilidade, apesar de não ter culpa pela queda do avião (Reprodução)
O advogado das famílias de sete jornalistas vítimas do voo da Chapecoense, João Tancredo, afirmou que irá processar o clube de futebol. A informação é do Estadão, por Clarissa Thomé e Constança Rezende.

Tancredo alega que o time teria responsabilidade, apesar de não ter culpa pela queda do avião. Entre os seus clientes estão as famílias do jornalista Guilherme Marques e do produtor Guilherme Van der Lars, ambos da Globo.

O advogado pediu à Justiça o contrato firmado entre o clube e empresa aérea LaMia. “Teria que ter sido feita uma apólice de seguro em nome dos passageiros. Ela é obrigatória”, disse. Além disso, irá apurar quem pagou pelas passagens. Caso tenha sido as empresas de comunicação, elas podem ter alguma responsabilidade.

O vice-diretor jurídico da Chapecoense, Luiz Antônio Palaoro, defendeu que as famílias unam forças contra os responsáveis pelo acidente.

“Conclamamos as famílias para unir forças. O clube não é responsável direto. O clube ofereceu levar os jornalistas porque havia assentos vagos, mas ninguém foi obrigado a entrar no voo”, disse.

Segundo ele, as famílias dos jogadores e funcionários do clube receberam indenização de 28 salários pela Chapecoense, mais 12 salários pela CBF.

ATUALIZAÇÃO: Segundo o UOL Esporte, por Bruno Thadeu e Daniel Fasolin, outra família representada por João Tancredo é a do Renan Agnolin, repórter da RIC TV de Chapecó e da Rádio Oeste Capital.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.