Header Ads

Rafael Henzel se emociona ao ouvir sua narração em defesa de Danilo

Um dos seis sobreviventes do acidente de avião da Chapecoense, o jornalista Rafael Henzel se emocionou com a homenagem feita pelo programa 'Redação SporTV' nesta quinta-feira (29). No dia em que a tragédia completou um mês, Henzel foi um dos convidados do programa e escutou a sua narração, pela Rádio Oeste Capital, de Santa Catarina, da defesa do goleiro Danilo, no empate de 0 a 0, com o San Lorenzo, lance que garantiu a classificação do time catarinense para a final da Copa Sul-Americana.

Após ouvir a sua locução, o jornalista lembrou com carinho do lance, da comemoração como colega Renan Agnolin, que faleceu na tragédia, do carinho do povo colombiano e disse que tem muito a celebrar em 2016 por ter sobrevivido ao acidente.

"É muito emocionante (escutar a narração). Logo depois dessa gravação, o meu colega Renan, que também se foi, ele chorou demais ao vivo. Eu chorei duas vezes com a Chapecoense: em Curitiba, quando consolidou a sua passagem para a Série A do Brasileiro, e dessa vez quando a gente foi para a final da Sul-Americana. Uma história tão bonita construída que vai ser eternizada. E dizer para todos assim que existem problemas muito maiores do que os nossos mínimos problemas que a gente enfrenta todos os dias. Por causa das relações pessoais, a gente brinca com colegas de trabalho, com familiares e fica sem falar com pai e mãe. Mas a vida pode acabar em um instante, os exemplos estão aí. Então, que a gente possa pensar isso em 2017. Me motiva voltar a trabalhar, mas o que mais me motiva é a segunda chance que Deus me deu de poder estar aqui conversando com vocês, que são colegas de trabalho. E mandar um grande beijo para o Follmann, para o Alan e para o Neto, que são pessoas que lutaram. Cada um em seu quarto da UTI, mas lutando pela sobrevivência. Hoje estamos todos aqui e podemos comemorar com as nossas famílias a virada de um ano. E repito: 2016 foi um ano muito ruim para muita gente, mas eu tenho que celebrar a vida, pela segunda chance que me foi dada. Quero deixar um beijo para todo mundo que orou. Colombianos também. Sei que esse vídeo vai para a Colômbia também. A Colômbia foi espetacular. A gente tinha uma imagem um pouco diferente, com o narcotráfico, as guerrilhas, mas não. O povo colombiano é maravilhoso e somos irmãos agora. Chapecó e Medellín são cidades irmãs, e que a gente possa viver um 2017 maravilhoso, com muita Chapecoense, que vai além do futebol. Essa Chapecoense conseguiu parar o mundo, além do futebol e com solidariedade", afirmou.

Acompanhe no player abaixo.



Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.