Header Ads

Jô Soares entrevista João Carlos Albuquerque e corneta a ESPN; 'pouquíssimo aproveitado'

João Carlos Albuquerque no 'Programa do Jô' (Reprodução)
O carismático apresentador da ESPN Brasil, João Carlos Albuquerque (o 'Canalha'), foi o convidado do 'Programa do Jô' na madrugada desta quarta-feira (23), na Globo. E, segundo o UOL Esporte, animado com o bate-papo, com direito a cerveja e muitas risadas, Jô esqueceu da hora e o tempo da entrevista ultrapassou o previsto, sem que, no entanto, aquilo o preocupasse. ''O programa já tá estourado, mas como é o último ano aqui, mesmo, vamos estourar'', disse ali.

Fã do trabalho de João, o comandante do talk show da Globo inicialmente explicou ao público o porquê do entrevistado chamar as pessoas, assim como a si próprio, de canalha. ''Ele é conhecido como 'Canalha'. Vocês acreditam, alguém que se autodenomina o 'Canalha'? E chama todo mundo que gosta de canalha. Pra mim é uma figura, um amigo espetacular, uma figura muito querida por todos'', elogiou antes mesmo da entrevista começar e, assim que o papo começou, contou que ele próprio foi alvo da mania do jornalista.

''Sabe como a gente se conheceu? Eu tava vendo um programa de esporte que ele faz na ESPN, apresentando, e ele terminou o programa [com um] 'o Jô Soares é um canalha, também, fica dizendo que torce pro Fluminense, tudo mentira, canalha'. Eu fiquei chocado. Falei: 'mas esse homem não me conhece'. Aí quis saber o telefone dele…eu liguei e falei: 'é o Jô Soares'. [E ele]: 'ô, meu querido, mas que honra'. [E devolvi]: 'mas você me chamou de canalha'. 'Eu só chamo de canalha quem eu gosto muito', [explicou]. E era verdade. Aí tive que aguentar esse canalha pro resto da vida.''

''Esse homem tá escrevendo um livro ['O Século XX no cinema italiano']'', avisou Jô, sendo interrompido por João: ''há 13 anos'', explicou, gerando risadas na plateia.

''É maluco ou não é? Fala a verdade'', comentou o apresentador do programa da Globo.

Aí foi a vez do Canalha da ESPN falar sério, e derramou-se e elogios a Jô Soares: ''você é a figura mais espetacular e o maior exponente da TV brasileira. Ninguém teve tanto programa na televisão com o próprio nome como você. Ou Jô ou Gordo.''

Na conversa, Jô, fã do trabalho de João Carlos, não se conteve e cornetou a ESPN Brasil, emissora para o qual João trabalha, por causa das mudanças na programação, há alguns anos, que fez com que o apresentador mudasse de horário. Passou a fazer o Bate-Bola noturno e não mais o do meio-dia, onde Jô estava acostumado, assistia e até chegou a fazer uma visita surpresa ao estúdio da atração, em um feriado de 2012 (participavam ali, na época, além de João Carlos, os comentaristas Paulo Vinicius Coelho, hoje na Fox, e Mauro Cezar Pereira, além do jornalista Lúcio de Castro, na sucursal carioca da emissora, que também teve outro convidado de peso, o técnico campeão brasileiro Abel Braga).

''Tem uma coisa que sou obrigado a reclamar do lugar onde trabalha, a ESPN, que é o seguinte: ele tinha um horário e mudaram o horário, só para me sacanear'', queixou-se Jô, com bom humor. ''Eles falaram [que era para isso]'', fez graça também João Carlos. ''Eu calculei'', concordou Jô.

''Eu apresentava o Bate-Bola na hora do almoço, mas já faz muito tempo que apresento à noite. Cê não vê porque também não quer, né? Qual o problema, você não faz nada'', brincou Canalha.

''Exatamente. É exatamente no horário que eu não faço nada, então eu não posso'', seguiu com o bom humor Jô.

A conversa seguiu animada e o apresentador da ESPN Brasil contou certa vez ter ido ver Derico, músico do programa do qual é fã, tocar e que aproveitou para lhe fazer um curioso carinho. ''Cê sabe que fui ver o Derico uma vez, passei a mão na bunda do Derico, Na Vila Madalena. Fiquei tão feliz de conhecê-lo que passei a mão na bunda. Ele falou que vê o Bate-Bola todo dia na esteira.''

''Mentira, porque ele não faz esteira'', conetou Jô. ''Eu faço, mas pra vender'', brincou o músico.

Mais adiante, nova coneta de Jô na ESPN Brasil. ''Isso aqui é dos maiores desperdícios da história da TV brasileira, a meu ver pouquíssimo aproveitado'', opinou sobre João Carlos Albuquerque.

''Cê sabe que eu sou seu fã…não tem nada pra comer, não?'', fez nova brincadeira João, enquanto ambos bebiam uma cerveja artesanal chamada Brotas Bear, de Brotas (SP), terra natal do jornalista.

A entrevista também abordou o passado de João ''Canalha'' como jogador. Foi goleiro na várzea, disse. ''Cheguei a fazer peneira no Santos'', contou.

Jô também pediu para que o convidado mandasse um abraço para quem ele conhece e gosta na ESPN Brasil, mencionando alguns nomes. ''Você, por favor manda um abraço pra todo aquele pessoal da mesa, aqueles que eu conheço, que eu gosto, entre eles o Mauro [Cezar, comentarista], o Amigão [Paulo Sares, apresentador], o Antero [Greco, comentarista], enfim.''

A participação de João Carlos Albuquerque no Programa do Jô terminou com o apresentador, que também é músico, tocando violão e cantando. A plateia do programa gostou do que ouviu e Jô se despediu, uma vez mais, enfatizando que considera João ''Canalha'' um talento pouco aproveitado.

''Eu não podia terminar essa temporada sem ter você aqui. Você é um querido e é um talento, como já disse, acho que pouco aproveitado, porque você transcende a possibilidade que você tem. Muito obrigado pela tua presença que enriqueceu esse programa'', finalizou assim Jô.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.