Header Ads

E-mails mostram que Kleber Leite tentou intermediar contrato da CBF com Globo

Kleber Leite é dono da empresa Klefer que tem os direitos internacionais da Copa do Brasil (Reprodução)
Suspeito de pagar propina a cartolas no caso Fifa, o ex-presidente do Flamengo, Kléber Leite, tentou convencer a CBF a intermediar o contrato da Copa do Brasil com a Globo. De acordo com publicação do UOL Esporte, por Rodrigo Mattos, é o que mostram e-mails entre o ex-dirigente e o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, contidos no relatório paralelo da CPI do Futebol. Ambos são investigados pelo FBI.

A empresa de Kléber Leite, Klefer, tem os direitos sobre a Copa do Brasil desde 2015, incluindo placas, naming rights e direitos internacionais, em contrato concedido pelo ex-presidente Ricardo Teixeira. O Departamento de Justiça dos EUA apontou que a empresa, juntamente com a Traffic, pagou propina a Teixeira, José Maria Marin e Del Nero por esse acordo. As duas empresas chegaram a brigar, mas fizeram um acordo para dividir lucros e pagamentos.

Pois bem, em abril de 2012, Kléber Leite enviou e-mail ao então presidente da CBF, José Maria Marin, e a Del Nero, com a intenção de intermediar o contrato da Copa do Brasil com a Globo, isto é, os direitos nacionais da competição.

Disse ter conversado com o então executivo da emissora Marcelo Campos Pinto a quem chama de 'amigo'. E fez diversas sugestões de como o negócio deveria acontecer. As conversas mostram uma relação bem íntima entre Kleber e Del Nero, e teoricamente com conhecimento da Globo. Veja abaixo:

Prezados, Presidente Marin e, Presidente Marco Polo,

Com certeza, pelo momento agitado que a C.B.F. está passando, me ficou a clara sensação de que, pela quantidade de assuntos e pelo curto tempo que tivemos ontem na nossa reunião, nada ficou claro. Desta forma, através deste email, com mais calma, gostaria de abordar um dos assuntos, e importante, que é a Copa do Brasil.

Verbalmente, já havia comunicado ao Marco Polo, a possibilidade de uma renegociação com a Rede Globo, que tem contrato relativo aos direitos de TV para o Brasil, até 2014. Na oportunidade, comuniquei que, de forma informal, estava discutindo o tema com o nosso amigo Marcelo de Campos Pinto e, que havia me solicitado ele, após conversar com Otávio Florisbal, uma carta da C.B.F. autorizando a Klefer a desenvolver a referida negociação.

Como o contrado da Klefer com a C.BF. relativo a este assunto específico começa em 2015, solicitei esta especial autorização e, posteriormente fui informado pelo Marco Polo de que, com relação aos anos de 2013 e 2014, o presidente Marin iria negociar direto com a Globo. Ontem, na nossa reunião, tive apenas tempo de enfatizar alguns pontos importantes, tais como: De que era um caminho saudável a negociação, com o rompimento do contrato atual e, imediatamente outro à partir de 2013,com término dependendo da negociação e, que pelo fato do nosso contrato começar em 2015, seria fundamental, juridicamente falando, a nossa presença para um possível acordo entre as partes,( CBF/Globo/Klefer)já que, pelo pleito da Globo em estender o contrato, ultrapassando o ano de 2015, a nossa presença era obviamente necessária.

Também falei sobre a estratégia para a renovação, tomando por base, a negociação feita pela própria Globo no campeonato brasileiro de 2012, descontando-se as propriedades contempladas no Brasileiro e, que não façam parte da Copa do Brasil, como Pay-per-view e publicidade estática, para depois, simplesmente se comparando, importância, quantidade de jogos, jogos televisados e atingimento de um e outro, encontrar o valor justo para a Copa do Brasil. Em síntese, o que me parece não ter ficado claro na nossa reunião de ontem é que, com absoluta certeza, a Globo não concordará com um novo contrato à partir de 2013 sem que tenha garantido o direito de estender este contrato até pelo menos 2017 e, como o contrato de agenciamento da Klefer representando a C.B.F., começa em 2015, não há como ficarmos alijados neste momento de negociação. Da mesma forma, ratifiquei a nossa intenção em colaborar em todos os sentidos para um desfecho feliz. Espero ter sido claro e, desde já, me colocando à disposição, como sempre, dos queridos amigos.''

Em seguida, no mesmo dia, Del Nero rechaça a intermediação, alegando que isso causaria desgaste à CBF. Afinal, nenhum contrato de transmissão da entidade tinha intermediação até agora.

''Caro Kleber.

Segundo o pres. Marin, durante esses quase 20 anos de relação Globo /CBF/Federações os contratos foram firmados sem intermediários. Esse é um ponto de destaque na sua argumentação, sem entrar no mérito sob outra análise. Qualquer alteração nesse instante seria de profundo desgaste para a CBF. Ele pede que você procure entender e possamos todos com bom senso resolver a questão. Com respeito e carinho do amigo e irmão Marco Polo.''

Kléber Leite responde a Del Nero, pedindo uma nova conversa e falando em amizade entre eles:

''Amigo,
Somente agora vi este seu email.
Precisamos conversar. Sugiro um papo
na próxima Terça-feira. Se você puder
e, estiver de acordo, é só me avisar
local e hora. Tenha a certeza de que, o
Mais importante para mim, além de preservar,é ''regar com amor'' a nossa amizade, e, ao Longo da vida representar para você
Solução e, nunca problema.
Aguardo. Beijo,
Kleber Leite.''


O UOL Esporte tentou nos últimos dias contato com os advogados de Kléber Leite e Del Nero, sem sucesso.

Curta nossa página no Facebook.
Siga o Esporteemidia.com no Twitter.
Nos acompanhe no Google+.